Sem categoria

Melo diz ser contrário a impeachment de Dilma

Governador disse que concorda com pontos da carta de apoio assinada por 16 governadores contra saída da presidente – foto: divu

Governador reuniu, ontem, com representantes dos órgãos ambientais e procurador da República para tratar sobre licenciamento da BR-319 – foto: Asafe Oliveira

O governador do Estado do Amazonas, José Melo (Pros) afirmou ser contra o processo de impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff (PT), que foi instaurado no último dia dois de dezembro. A declaração ocorreu na tarde de ontem (21) na sede do governo, na Avenida Brasil, bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus.

Até então o presidente do Pros no Amazonas evitava mostrar um posicionamento mais aberto em relação ao impeachment aprovado na Câmara dos Deputados. No início do mês, 16 governadores assinaram uma carta da legalidade contrários ao processo de impeachment conta a presidente da República.

Melo não estava presente na ocasião por estar em Paris acompanhando a Conferência do Clima e, por isso, seu nome não consta na carta onde os governantes defendem que o mecanismo do impeachment deve ser empregado somente se houver “comprovação clara e inquestionável” de atos praticados dolosamente pelo chefe de Governo que atentem contra a Constituição.

“Eu e os governadores da Amazônia assinamos o documento. O que pensamos do impeachment está lá e não vai mudar. Somos contra as agressões da democracia e contra a atitudes que não fossem dentro dos termos da lei. Não só a minha assinatura, mas dos outros que não tiveram posicionamento contrário”, afirmou Melo, ao ressaltar  que “ela (Dilma Rousseff) está se defendendo no campo que deve se defender, igual eu estou fazendo aqui.

Cassação

Em relação a representação que tramita no Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) na qual cinco dos seis membros já votaram pela cassação de seu mandato, José Melo disse continuará “governando o Amazonas sem deixar que isso (processo) atrapalhe os trabalhos”.

O julgamento foi suspenso por um pedido de vistas do juiz Márcio Rys Meireles e deve ser retomado em janeiro de 2016.  “Meus advogados estão cuidando disso. Posso dar garantias de que vou me defender. A vida continua. Tem processos que estão sendo julgados a 50 anos e esse é um assunto que não faz com que eu me desvie dos meus propósitos de governar”, disse.

Por Asafe Oliveira

1 Comment

1 Comment

  1. Fábio Luiz Mendes Mulazani

    18 de janeiro de 2016 at 13:29

    Nesta altura, ele só pode chafurdar ainda mais na lama que o envolve.
    Srs. Desembargadores/Juízes, honrem suas convicções e com honra, caráter e ética, cassem logo este corrupto, penalizando não só ele, mas toda a corja de bandido que gerou este atraso para sociedade amazonense.
    O Povo já está cansado de tanta bandidagem, corrupção e insegurança.
    Queremos pagar os impostos que nos são exigidos e vivermos em paz.
    Que os políticos eleitos, com ou sem mérito, trabalhem e parem de criar mecanismos para enganar a população.
    Àqueles que não prestam, punições severas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir