Dia a dia

“Matei e assumo”, diz suspeito de matar pelo menos dois em Manaus

Ronaldo confessou um dos crimes, mas negou participação no outro - foto: Luis Henrique Oliveira

Ronaldo confessou um dos crimes, mas negou participação no outro – foto: Luis Henrique Oliveira

Ronaldo Cruz Maia, 24, foi apresentado na manhã desta segunda-feira (26), suspeito de matar pelo menos duas pessoas em Manaus durante o ano passado. Ele foi preso em cumprimento de mandado, na quinta-feira (22), pela Polícia Civil, em um campo de futebol na rua 15 de Agosto, Jorge Teixeira, Zona Leste da cidade.

De acordo com o titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Ivo Martins, entre as vítimas de Ronaldo está Ademir Alves da Silva, 54, encontrado morto, com as mãos e boca amarradas, no ramal do Brasileirinho, loteamento João Paulo, também Zona Leste, no dia 2 de julho de 2015.

Ronaldo confessou o crime e ainda ‘argumentou’ que a vítima o estava devendo.  “Ele tava pelo errado. Pegou droga e não pagou. Matei e assumo a parada”, disse Ronaldo.

Conforme Ivo Martins, Ronaldo integra um pequeno grupo de tráfico doméstico na Zona Leste e já foi preso por tráfico. “Eles se acham os donos da área, tocavam o terror por lá”, comentou o delegado, acrescentando que o crime ocorreu a mando de um traficante conhecido como ‘Moisés’ e teve a participação de outras três pessoas, sendo que duas já estão presas.

Outra vítima
Outra vítima de Ronaldo foi Ivo Marques da Silva, 41, morto no dia 21 de novembro do ano passado, na rua José Miranda, Jorge Teixeira 4. Conforme a polícia, este teria sido morto por engano, no lugar do proprietário do imóvel, desafeto de um dos traficantes da área e o qual teria esfaqueado durante uma discussão.

“Ele não tinha nada a ver com a briga, apenas estava hospedado na cada do homem que brigou com o traficante que ordenou ao Ronaldo e outros comparsas sua morte”, informou acrescentando que o mandante teria fugido da capital.
Ronaldo foi indiciado por homicídio qualificado e ocultação do cadáver, sendo encaminhado para Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, mas a polícia não descarta sua participação em outros homicídios.

Por equipe EM TEMPO online

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir