Economia

Mármore segue com preços muito elevados em Manaus

Marmorarias apontam queda de 60% nas vendas por conta da crise econômica que afeta a construção civil, o seu principal mercado consumidor - foto: Ione Moreno

Marmorarias apontam queda de 60% nas vendas por conta da crise econômica que afeta a construção civil, o seu principal mercado consumidor – foto: Ione Moreno

Item muito desejado pelas classes média e alta, para aplicações de luxo nas suas residências, as peças de mármore em Manaus continuam muito caras, o que enfraquece o mercado. Cotado pela moeda norte-americana nas marmorarias da cidade a média de preço do metro quadrado varia de R$ 2 mil a R$ 4 mil, quase o valor médio do metro quadrado de um imóvel na cidade, que custa hoje, aproximadamente, R$ 4,8 mil.

Conforme dados de marmorarias de Manaus, o conjunto de alto custo das peças e a crise econômica, impulsionam a queda nas venda na cidade. Nos últimos seis meses, segundo empresários do ramo, o prejuízo já passou de 60%, o que é reforçado pela crise da construção civil, bem como pelo menor volume de reformas residenciais que o consumidor comum costumava realizar em períodos como o final e o começo de ano.

A empresária Fabiana dos Santos lamenta a queda na procura pelas peças de mármore pelo principal mercado consumidor do produto, que eram as construtoras, o que a fez demitir funcionários para manter abertas as portas do seu empreendimento. “De novembro do ano passado até agora, a queda nas vendas já alcançou mais de 60%. Demitimos 6 funcionários e se não melhorar vamos ter que demitir ainda mais”, afirma.

Fabiana diz que os produtos que mais saem em Manaus são os mármores importados, que vêm de países como a Itália, a Alemanha e a Espanha, e os nacionais que vêm principalmente dos Estados de São Paulo e Espírito Santo. “Os produtos mais valorizados são os importados, que saem em média por R$ 2 mil o metro quadrado, e temos de até R$ 4 mil, mas não é todo mundo que compra”,avalia a empresária.

A empresária Paula Emanuelle, proprietária, da Grammarmore, também lamenta a brusca queda nas vendas dos produtos. Ela que herdou a profissão do pai, afirma que não repassou a alta do dólar para os clientes. Paula explica que o mármore hoje está equiparado em valores com o granito, mas a diferença entre eles é que o primeiro é mais poroso e tem uma facilidade maior em absorver e manchar.

“Os granitos escuros também são porosos. A diferença é que não se percebe quando ele macha, como o passar dos anos. O mármore branco é lindo, tem um rajado cinza, mas tem facilidade de absorver e manchar, caso se deixe uma lata de óleo em cima a ferrugem vai introduzir e entrar e não sai mais”, explica.

Segundo a especialista, a variedade do mármore é imensa porque é extraído de rochas e cada uma tem singularidade. “Ele é repleto de veios, e nunca é igual ao outro. Se um cliente faz uma obra e caso compre um material que venha a faltar, ele nunca terá um outro produto semelhante ao da primeira remessa”, diz.

Stênio Urbano

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir