Cultura

Marcelo Galvão dirigirá faroeste brasileiro para Netflix

O serviço de vídeos sob demanda divulgou nesta sexta (5) a produção do primeira longa-metragem nacional, um faroeste criado e dirigido por Marcelo Galvão - foto: Folhapress

O serviço de vídeos sob demanda divulgou nesta sexta (5) a produção do primeira longa-metragem nacional, um faroeste criado e dirigido por Marcelo Galvão – foto: Folhapress

Mais uma produção brasileira figurará no catálogo da Netflix. Após anunciar a série original “3%” e os especiais de comédia com Felipe Neto e Marco Luque, o serviço de vídeos sob demanda divulgou nesta sexta (5) a produção do primeira longa-metragem nacional, um faroeste criado e dirigido por Marcelo Galvão (“Colegas”).

Intitulada “O Matador”, a produção deve ter as filmagens iniciadas em agosto com um elenco formado por Diogo Morgado (“O Filho de Deus”), Marat Descartes (“2 Coelhos”), Deto Montenegro (“A Despedida”), Maria de Medeiros (“Pulp Fiction”), Etienne Chicot (“O Código Da Vinci”) e Mel Lisboa (“Sete Pecados”), entre outros.

A história se passará entre as décadas de 1910 e 1940 e acompanhará Cabeleira (Morgado), um temido matador de Pernambuco, que cresceu completamente isolado da civilização -quando bebê, foi abandonado pelos pais e encontrado pelo cangaceiro Sete Orelhas (Montenegro).

Adulto, o personagem vai à cidade pela primeira vez para procurar seu pai adotivo e encontra uma cidade sem lei, governada pelo Monsieur Blanchard (Chicot), um francês que domina o mercado de pedras preciosas e é o antigo empregador de Sete Orelhas.

Antecessores

Há exatamente um ano, a Netflix anunciou a produção da primeira série 100% brasileira, a ficção-científica “3%”, estrelada por João Miguel (“Estômago”) e Bianca Comparato (“Avenida Brasil”).

O suspense mostra um mundo distópico onde, ao completar 20 anos, todo cidadão ganha o direito de ser avaliado para definir seu destino. Apenas três por cento dos candidatos são aprovados -daí o nome da série.

Em julho deste ano, a plataforma também confirmou dois especiais de comédia estrelados por Felipe Neto e Marco Luque -“Minha Vida Não Faz Sentido” e “Tamo Junto”, respectivamente.

Com gravações das apresentações humorísticas ao vivo, a ideia é reproduzir no Brasil o projeto que já é realizado nos Estados Unidos desde 2014, exibindo espetáculos de nomes como Chris Rock e Aziz Ansari.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir