Dia a dia

Manifestação ameaça fechar a avenida Brasil, nesta terça-feira

Moradores da invasão Cidade das Luzes, no bairro Tarumã, Zona Oeste, ameaçam obstruir a avenida Brasil, no bairro Compensa, Zona Oeste, na manhã desta terça-feira (3), na tentativa de se reunirem com o governador José Melo. O grupo pede a regulamentação e o atestado de posse dos terrenos da área, onde no mês passado foi deflagrada uma operação realizada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) e o Ministério Público do Estado (MPE/AM). A referida ocupação seria financiada pela facção criminosa Família do Norte (FDN).

Há uma semana, um grupo de aproximadamente 200 pessoas, entre homens, mulheres e crianças montou acampamento em frente à sede do governo, no bairro Compensa. As famílias dormem em redes armadas debaixo das árvores e em colchões e preparam as refeições no local. “Para o banheiro estamos contando com a solidariedade dos moradores daqui de perto, que nos cedem para tomarmos banho e fazermos nossas necessidades”, ressaltou um morador da Cidade das Luzes, que preferiu não se identificar.

De acordo com os moradores, a comunidade possui 6 mil residências construídas há 2 anos, quando o local começou a ser ocupado. “Querem nos tirar de lá, alegam que desmatamos. Mas o que mais tem em Manaus é terreno desmatado para construção de condomínio de luxo. Só queremos nosso documento de posse e um local para morar”, afirmaram.

Os manifestantes negaram que a ocupação seja patrocinada por alguma facção criminosa e reivindicam moradia. “Nossa manifestação é pacifica, mas se o governador não nos receber amanhã (hoje), vamos fechar a avenida Brasil nos dois sentidos”, ameaçou.

Na última segunda-feira (26) os manifestantes interditaram um trecho da avenida Brasil, em frente à sede do governo para chamar atenção da administração. Contudo, só conseguiram gerar congestionamento na área.

Sem apoio

Em nota divulgada na ocasião, Governo do Estado informou que não atenderá aos pedidos dos moradores da referida invasão, e que conforme a Casa Civil existe uma solicitação do delegado da Polícia Federal, Rosinaldo Wanderley, de que o Estado se abstenha de realizar qualquer obra de infraestrutura no local, a fim de evitar danos maiores ao meio ambiente na região do Tarumã. Ainda segundo o documento, a Polícia Federal, o Ministério Público Federal (MPF/AM) e o Ministério Público do Estado (MPE-AM) estão agindo nos dois casos e o Governo não pode intervir nas decisões.

Por Ive Rylo

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir