Economia

Manejo de gás no AM pode ser feito com mais segurança

Rafael Dantas é o coordenador do projeto que desenvolveu tecnologia mais avançada e segura de detectar vazamento em poços de gás - foto: divulgação

Rafael Dantas é o coordenador do projeto que desenvolveu tecnologia mais avançada e segura de detectar vazamento em poços de gás – foto: divulgação

Um equipamento capaz de realizar a segurança e identificação da evasão dos poços de gás está sendo desenvolvido  pela JS metalurgia, empresa contemplada no edital do Programa de Subvenção Econômica à Inovação Tecnológica em Micro e Empresas de Pequeno Porte (Tecnova/AM).

O equipamento de segurança é um produto obrigatório para as empresas que atuam no ramo de petróleo e gás. A tecnologia foi criada com o apoio do governo do Amazonas, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam),

A solução tecnológica é um queimador de óleo e gás de alta pressão no formato modular, dividido em duas bases, o que garantirá mais rapidez ao montar e desmontar, além de possuir os requisitos: modular, automatizado, controlado remotamente e antiexplosivo, que trabalhará a área de segurança e a identificação da evasão dos poços de gás por meio de sinalização e informações técnicas.

O equipamento promete a otimização do processo, ser mais econômico financeiramente em comparação com os que são comercializados pelo mercado e normatizado com todos os critérios de qualidade.

“A principal vantagem identificada é oferecer em Manaus um produto que não é fabricado na Região Norte, justamente onde está situada a maior reserva de gás natural”, disse Rafael Dantas, coordenador do projeto.

Segundo ele, atualmente, muitas empresas não possuem o equipamento de segurança e que a maioria ainda verifica a saída do gás de forma ultrapassada e perigosa.

“Hoje o funcionário vai com um bastão com um pouco de fogo na ponta e põe na saída do gás. Se o fogo aumentar é porque está saindo gás. É como se fosse um palito de fósforo gigante, mas com risco muito grande para pessoa que o manuseia. O nosso equipamento segue as normas da Agência Nacional de Petróleo (ANP) e as normas internacionais”, ressaltou Dantas.

Mercado

Administrador de empresas, Rafael Dantas disse que a equipe fez um levantamento inicial e constatou que muitas empresas de outros países e Estados do Brasil acabam atendendo a demanda de empresas locais. O mercado no Amazonas, ressaltou, ainda está em fase inicial, mas já existe demanda por equipamentos iguais a esses.

“A proposta é referência no mercado regional e nacional, pois foi identificada em análise prévia junto a clientes da cadeia produtiva de petróleo e gás a inexistência de produtos com os requisitos: segurança operacional, meio ambiente e aspectos ergonômicos e legais”, finalizou Dantas.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir