Dia a dia

Manaus possui 42 focos de invasão, segundo a Semmas

as invasões situadas na Área de Preservação Permanente (APP) e área verde do Loteamento Parque das Garças e do conjunto Viver Melhor 2 são as maiores - Foto: Divulgação

As invasões situadas na APP e área verde do Loteamento Parque das Garças e do Viver Melhor 2 são as maiores – Foto: Divulgação

Pelo menos 42 focos de ocupação irregular foram contabilizados pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) até a manhã de ontem, somente na capital. Embora a pasta realize ações de prevenção e combate por meio do Grupo Integrado de Prevenção às Invasões em Áreas Públicas (Gipiap), moradores continuam invadindo áreas proibidas, principalmente nas Zonas Norte e Leste.

Conforme dados recentes divulgados pela Semmas, as invasões situadas na Área de Preservação Permanente (APP) e área verde do Loteamento Parque das Garças e do conjunto Viver Melhor 2 são as maiores. Há casos de ocupações que já foram alvo de até cinco ações de retirada, mas os ocupantes quase sempre retornam. “As pessoas que moram em invasão elas não têm para onde morar e nem como pagar um aluguel decente e por isso elas retornam. Conhecia muita gente dessa invasão e eles com certeza vão retornar”, disse o ferreiro Charles Silva, 25, morador do bairro Monte das Oliveiras, na Zona Norte.

A equipe de reportagem do AGORA percorreu algumas localidades e percebeu que algumas invasões estão praticamente consolidadas. De acordo com a moradora Luciana Marques, 27, ocupante de um barraco localizado na rua Itapevi, comunidade Vista Alegre, bairro Santa Etelvina, Zona Norte, moradores ocupam o local há pouco mais de um ano. “Uns amigos me chamaram para morar aqui e estamos desde o ano passada. Nunca ninguém veio retirar a gente e não iremos mais sair daqui”, disse.

Além das áreas invadidas no bairro Santa Etelvina, a equipe encontrou moradias construídas irregularmente na rua Nathan Xavier, no bairro Novo Aleixo; na rua Hilário Gurjão, bairro Jorge Teixeira. A maioria das ocupações são construídas em áreas verdes. “Eles desmatam toda a área para poder construir as casas”, ressaltou a secretária do Gabinete de Gestão Integrada da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-AM), Zandra Ribeiro.

Na manhã do dia 27 de setembro, a SSP cumpriu um mandando de reintegração de posse em uma Área de Preservação Permanente e Particular, localizada no bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte. No local, foram retirados aproximadamente 257 barracos, que abrigavam pelo menos 200 famílias a cerca de três meses. A ação, que começou por volta das 6h, foi realizada pelo Grupo Integrado de Prevenção às Invasões em Áreas Públicas no Estado (Gipiap), composto por secretárias estaduais e municipais, com apoio das polícias Militar e Civil. Três pessoas foram detidas por resistência e liberadas em seguida. Na manhã de ontem, a reportagem encontrou o local cercado e protegido por barreiras de zinco.

Em caso de ocupações de áreas particulares, o proprietário deve registrar queixa na Delegacia Especializada em Meio Ambiente (Dema) e ajuizar ação de reintegração de posse. As denúncias podem ser feitas pelo 0800-092-2000, em horário comercial, e via internet no site semmas.manaus.am.gov.br, no link “Faça aqui a sua denúncia”. É importante informar a localização exata e referências para colaborar com a ação dos fiscais.

Luís Henrique Oliveira
Jornal AGORA

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir