Dia a dia

Manaus ganha centro especializado de proteção à mulher

Nesta quinta-feira (30), a prefeitura inaugurou o Centro de Referência dos Direitos da Mulher (CRDM) - foto: divulgação

Nesta quinta-feira (30), a prefeitura inaugurou o Centro de Referência dos Direitos da Mulher (CRDM) – foto: divulgação

Vítimas de violência física, psicológica, sexual, moral ou patrimonial, as mulheres agora contam com um espaço para atendimento especializado na proteção de seus direitos na capital. Nesta quinta-feira (30), a prefeitura inaugurou o Centro de Referência dos Direitos da Mulher (CRDM), localizado na rua Araxá (antiga Rua 4), na praça do Conjunto Duque de Caxias, bairro Flores, zona Norte da capital.

Gerenciado pela Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), além de encaminhamentos para a Rede de Serviços e Atenção à Mulher, o Centro também vai oferecer atendimento psicossocial e jurídico, orientando as mulheres para que não se sintam desamparadas e dando agilidade nos procedimentos.

Uma em cada cinco mulheres com menos de 18 anos no mundo já foi vítima de estupro ou abuso sexual. Os dados integram um raio x produzido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para alertar sobre o fenômeno da violência como um problema de saúde. O relatório traça a estimativa com base em estudos feitos entre 2011 e 2015 e compila informações de 133 países.

“Essa obra se torna ainda mais oportuna quando vemos as barbaridades que têm sido noticiadas de violência contra as mulheres. Aqui teremos profissionais especializados para resgatar a autoestima, curar os traumas e, novamente, empoderar essas mulheres perante a sociedade”, destacou o prefeito Arthur Virgílio Neto.

No CRDM as mulheres poderão contar com atendimento para mulheres em situação de risco pessoal e social por ocorrência da violência; atendimento psicológico individual e em grupo para a mulher e seus filhos, fortalecendo os mecanismos, resgate da autoestima e reduzindo danos; atendimento pedagógico identificando o nível de escolaridade e encaminhamento para rede educacional; e a arte-terapia também será trabalhada como alternativa para potencializar a criatividade e o desejo de transformação social.

“Conseguimos parceria com a OAB-AM e, uma vez por semana, a Comissão da Mulher estará conosco oferecendo atendimento gratuito sobre guarda de filhos, pensão alimentícia e outros assuntos relacionados aos diretos da mulher. O Centro estará aberto para demandas de toda a cidade, mas a nossa meta é criar unidades em outras áreas”, disse a subsecretária da Semmasdh, Mônica Santaella.

A obra é resultado de investimentos próprios da prefeitura, com apoio de emendas parlamentares.

Estatísticas

Segundo o Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp), no ano passado, Manaus registrou 13.046 casos de violência contra a mulher. De janeiro a maio deste ano já foram registrados 5.136 casos. No ranking de denúncias, destacam-se: ameaça, injúria e lesão corporal, que juntas, representam 80,2% dos casos.

No Brasil, apesar de 100% das brasileiras conhecerem a Lei Maria da Penha, promulgada há dez anos, elas ainda se sentem desrespeitadas. Ciúmes e bebida aparecem como as principais causas da violência.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir