Sem categoria

Manaus foi a 8ª cidade que mais demitiu no país

o mês de abril, o saldo negativo de Manaus foi de 1.935 demissões, o equivalente a 94,6% de todos os registros de desligamentos com carteira assina, no Amazonas, puxados pela indústria (-1.030) e comércio (-803) - foto: Diego Janatã

No mês de abril, o saldo negativo de Manaus foi de 1.935 demissões – foto: Marcio Melo

Num país com 5.570 municípios, Manaus foi a 8ª cidade brasileira que mais demitiu trabalhadores no mês de abril deste ano, com o desligamento de 1.935 postos de trabalho do mercado formal, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. Entre as capitais, a amazonense figurou em 6º lugar no ranking.

A capital paulista, com 10.761 desligamentos foi a campeã em abril, seguida do Rio de Janeiro com 6.319 demissões no período e Salvador, com 3.695. Manaus ficou atrás ainda de Belo Horizonte (-2.538) e Recife (-1.995) e demitiu mais do que São Luís (-1.704), Curitiba (-1.320), Natal (-1.217) e Maceió (-1.141).

Na Região Norte, a capital amazonense ganhou também no mês de abril o título da cidade que mais demitiu. No ranking das 20 cidades que mais desligaram pessoas do mercado formal, não figura mais nenhum outro muito município ou capital da Região Norte.

No mês de abril, foram admitidos em Manaus 9.061 trabalhadores, mas por outro lado o total de desligamentos chegou a 10.996. Conforme o levantamento do Caged, a capital amazonense teve na indústria de transformação (-1.030) e o no comércio (-803) os seus maiores volumes de cortes. O setor de serviços registrou o terceiro maior saldo de desligamento, com 75 cortes e foi seguida dos serviços industriais de utilidade pública, com 59 demissões.

O volume de demissões de Manaus no quarto mês do ano representou 94,6% dos desligamentos, em todo o Estado do Amazonas que chegou a 2.024 cortes em abril. O volume registrado foi 0,48% superior a quantidade de demissões de trabalhadores com carteira assinada, no mês de março.

Entre os 22 municípios amazonenses que figuram com mais de 30 mil habitantes no Estado, Itacoatiara aparece em segundo lugar no Estado com saldo negativo de 62 demissões. A cidade registrou 82 admissões e 144 desligamentos. O terceiro pior resultado do Amazonas ficou com o município de Iranduba (-38) seguido de Manacapuru (-37) e Coari (-35).

No sul do Amazonas e no Alto Solimões, as cidades de Boca do Acre e Tabatinga, respectivamente, figuram com os melhores saldos do Estado. Cada uma com registrou 11 empregos a mais no mês de abril em relação ao mês anterior. Ambas admitiram 27 trabalhadores e desligaram apenas 16 no período, conforme dados do Caged.

O município de São Paulo de Olivença, no Alto Solimões, foi o único entre 22 pesquisados no Amazonas que ficou no zero porque nem contratou nem demitiu. Por outro lado, Fonte Boa, no médio Solimões, ficou no zero porque admitiu um trabalhador, mas também demitiu um.

No geral, o Amazonas registrou no período o quinto pior recuo entre os Estados brasileiros e mais o Distrito Federal. Nos quatro primeiros meses do ano, o Estado registrou um volume de 3,06% maior de demissões em relação ao primeiro quadrimestre de 2015, o que o colocou com o quarto pior resultado de emprego do país.

Por Emerson Quaresma

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir