Economia

Manaus é polo atrativo para cervejas artesanais

Empresas que fabricam cervejas artesanais encontram na capital amazonense um lugar promissor para produzir e comercializar bebidas - foto: Ione Moreno

Empresas que fabricam cervejas artesanais encontram na capital amazonense um lugar promissor para produzir e comercializar bebidas – foto: Ione Moreno

Manaus continua sendo um polo atrativo para o mercado de cerveja artesanal. A capital amazonense, que já conta com várias marcas, agora vai ganhar mais uma opção, que promete ser 60% mais barata para o consumidor final.


O preço mais em conta resulta da parceria estratégica entre a cervejaria paulista Urbana e a distribuidora 3Beers, que viabilizaram a produção da Refrescadô de Safadeza, por meio da fábrica Batuta. Além de prometerem um preço mais em conta ao consumidor, os empresários esperam turbinar o setor de bebidas artesanais, ao oferecer mais opções, e já trabalham em uma nova fórmula à base de frutas da nossa região.

O sócio administrador da distribuidora 3Beers, Gustavo Scherer, que procurou a Urbana em busca de explorar o segmento de bebidas artesanais, comemora a parceria, que trará vantagens para a qualidade do produto e o preço. Gustavo conta que, com a produção em Manaus, um copo de 300 ml, que custaria entre R$ 24 e R$ 30 se fosse importado de outro Estado, vai custar entre R$ 12 e R$ 15. A variação depende do preço que o estabelecimento irá praticar.

Gustavo explicou que a produção local também influencia na qualidade do produto, que não vai precisar viajar longas distâncias depois de feito, resultando assim em uma bebida “mais fresca, encorpada e sem uso de conservante”.

“É um mercado bom que estamos explorando agora.  Apesar de ter um momento ruim na economia, o mercado de bebidas está com uma procura boa. O pessoal gosta e quer provar um produto diferente”, observa o empresário.

De acordo com o cervejeiro e sócio da Urbana, André Cancigliero, o frete cobrado encarecia o produto antes, pois apenas pelas garrafas era cobrado um valor de R$ 1,50 de frete por unidade.

“Ao produzir em Manaus, poupamos os consumidores de custos extras e tornamos a marca mais acessível, principalmente para quem gostaria de tê-la em seu estabelecimento”, destaca.

A produção da cerveja é feita à base de lúpulo americano, malte e levedura, e será uma Session Ipa, bebida bem leve, com alto “drinkability”, graduação alcoólica de 4,2%, toques cítricos e notas de biscoito, aspectos que, segundo a cervejaria, combinam com o clima amazônico. Depois de pronta, será comercializada pela 3Beers, que também será a distribuidora oficial da marca no Amazonas e também para o Acre.

Crescimento

O presidente do Sindicado da Industria de Bebidas de Manaus (Sindbem), Luiz Carvalho Cruz, confirma a tendência de crescimento do setor de cervejas mais caras no Brasil e em Manaus. Sobre bebidas não alcoólicas como refrigerantes, Castro afirmou que o segundo semestre está com um rendimento atípico por conta da grande quantidade de chuva em setembro.

“Estamos com expectativa boa para outubro e novembro, mas nada que se possa ‘dar um brinde’. As matérias-primas aumentam o custo de produção. Acreditamos que só vai melhorar mesmo no segundo semestre do ano que vem”, finaliza Castro.

Por Joandres Xavier

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir