Dia a dia

Manaus Ambiental pode ser multada em R$ 1 mi, caso não resolva o abastecimento de água nas Zonas Norte e Leste

O prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto ameaçou multar em R$ 1 milhão a concessionaria Manaus Ambiental, caso o abastecimento de água nas Zonas Norte e Leste da capital não se normalize até primeiras horas da manhã desta quinta-feira (9).

O prefeito também afirmou que vai solicitar que a conta de água dos moradores afetados não seja cobrada, já que os mesmos foram prejudicados pela falta de abastecimento. “Se eu recebo água encanada é claro que vou pagar, mas se eu não recebo não tenho porque pagar”, disse, durante entrevista a uma rádio local.

Arthur Neto explicou que a Manaus Ambiental tenta justificar as falhas no abastecimento, devido a problemas na estrutura da estação de tratamento que foi herdada da Companhia de Saneamento do Amazonas (Cosama). E acrescentou estar cansado dessa justificativa, comentando que não há mais motivos para a empresa usar a antiga estrutura como justificativa para a falha no abastecimento.

“A Manaus Ambiental herdou toda a estrutura da Cosama. Uma estrutura sucateada, mas não dá para dar essa desculpa eternamente. Se está sucateada é preciso cuidar e investir em melhorias. A Manaus Ambiental acabou de receber um grande empréstimo do BNDS para fazer essas melhorias e vamos cobrar isso”, destacou.

O problema nos bairros das Zonas Norte e Leste da capital começou há 15 dias, devido a um problema em uma das bombas de captação de água bruta da Estação de Tratamento de Água Ponta das Lajes (ETA), localizado na própria Zona Leste. Em nota, a Manaus Ambiental explicou que o abastecimento está sendo realizado por escala de dia e obedece a subdivisão de macro setores da concessionaria.

Para reforçar o abastecimento nos bairros afetados, o Exército Brasileiro (EB), por meio de uma parceria com a Prefeitura de Manaus, está disponibilizando, a partir da tarde desta quarta-feira, diversos carros-pipas. O trabalho do EB deve continuar até que o problema seja solucionado pela Manaus Ambiental.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir