Dia a dia

Manaus agredida com poluição visual nas ruas

Poluição visual no Coroado é comum em grades – Fotos: Janailton Falcão

Uma das formas de publicidade que oferecem baixo custo em investimentos no setor de divulgações para microempresários vem provocando uma onda descontrolada de poluição visual por quase toda a cidade. As áreas mais afetadas com a colagem de cartazes, banners e faixas publicitárias, em muros, postes de iluminação, pontos de ônibus, fachadas de casas e empresas, são as zonas Leste e Norte.

Somente no ano passado, a Operação Cidade Limpa, deflagrada pelo Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), realizou a apreensão de 781 materiais, entre faixas, placas, banners, galhardetes, cavaletes e engenhos em geral instalados irregularmente na cidade. Neste ano, no mês de março, foram apreendidos 122 itens.

Segundo o Implurb, o trabalho de fiscalização tem por objetivo reduzir a poluição visual e urbana em toda a cidade e estimular a regularização da publicidade legal, dentro da legislação. Os licenciamentos de engenhos passíveis de regularização são feitos pela Gerência de Engenhos Publicitários (GEP), no órgão. Nos casos não passíveis de regularização, em razão do descumprimento da lei, é aplicada multa e apreensão do material.

Poluição visual sem fim

Placas com tamanho fora do tamanho são proibidas

Na avenida Beira-Mar, no bairro Coroado, Zona Leste, é comum ver cartazes pendurados nas grades de proteção do igarapé que corta a via. Além disso, os pedestres estão acostumados a topar com banners e faixas afixadas nas calçadas ou até mesmo em placas de sinalização, que por muitas vezes ficam ofuscadas pelo tamanho da publicidade e pelas cores vibrantes usadas nas faixas.

“Realmente, esse tipo de publicidade deixa a cidade muito feia. Aqui no Coroado todo dia alguém coloca um anúncio no muro, em paradas de ônibus, na calçada pendurada em suportes. Por um lado, isso é até perigoso. Vai que alguém tropece e bata a cabeça na sarjeta”, disse a dona de casa e moradora da região Daiana Soares.

Proibições

De acordo com o Implurb, é proibido, por exemplo, instalar engenhos em leitos dos rios, igarapés, praias; postes de iluminação pública ou rede de telefonia, faixas ou placas acopladas à sinalização de trânsito; obras públicas, como pontes, viadutos, passarelas, além de estátuas, esculturas, monumentos e bancos em logradouros e similares; no passeio público, salvo quando os mobiliários urbanos são regularizáveis e não prejudiquem a mobilidade urbana.

Anunciantes

Já para os anunciantes, essa é a forma mais rápida e eficaz de ganhar a preferência da clientela, sem ter que gastar muito com grandes artes publicitárias. “Fazendo de uma forma que não deixe o ambiente sujo ou visualmente feio, não vejo problema de anunciar o serviço. No meu caso, coloco e retiro todos os dias os meus cartazes”, comentou Lucas Silva.

Gerson Freitas

EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir