Dia a dia

Mais três PMs suspeitos de extermínio são ouvidos no Fórum Henoch Reis

 A operação ‘Alcateia’, foi deflagrada no dia 27 novembro de 2015 e serviu para identificar os PMs envolvidos nos crimes - fotos : Ione Moreno

A operação ‘Alcateia’ foi deflagrada em novembro de 2015 e serviu para identificar os PMs envolvidos nos crimes – fotos : Ione Moreno

Mais três policiais militares, suspeitos de integrarem um grupo de extermínio, serão ouvidos nesta quarta-feira (27), durante uma audiência de instrução no Fórum Ministro Henoch Reis, na Zona Centro-Sul de Manaus. Eles são apontados como os executores de João Fausto da Costa Neto, umas das vítimas do fim de semana sangrento, ocorrido em julho de 2015, onde mais de 30 pessoas foram assassinadas na cidade.

Os PMs que serão ouvidos são: Bruno Cezane Pereira, Germano da Luz Júnior e Janilson Monteiro da Frota. O juiz Mauro Antony, titular da 3ª Vara do Tribunal do Júri, é quem irá ouvi-los, assim como uma testemunha indicada pelo Ministério Público Estadual (MPE).

Conforme o MPE-AM, da série de mortes ocorridas entre os dias 17 a 20 de junho do ano passado, os policiais são investigados por 23. Os PMs foram presos no dia 27 de novembro durante a operação ‘Alcateia’.

“Segundo o MPE-AM, os policias militares saiam para matar à noite. Isso a gente vai verificar na instrução criminal. O mistério público vai tentar comprovar o que ele falou na denúncia e a defesa vai tentar comprovar o contrário. Então vai haver o contraditório e, no final, se eu entender que o MPE-AM está com a razão, eles vão a júri, e se eu entender que o MPE-AM não tem razão, eles serão absolvidos”, disse Mauro Antony.

As audiências de instrução começaram no dia 19 deste mês, na ocasião foi ouvido o PM Magno Azevedo Mafra, suspeito de matar a tiros Henrique dos Santos Nascimento, na comunidade Parque São Pedro, bairro Tarumã, Zona Oeste.

No mesmo dia foi ouvido o delegado Leandro Almada, como testemunha. Ele integrou a força tarefa que deflagrou a operação Alcateia.

No próximo dia 10 será ouvido uma testemunha do sexo masculino, que segundo a justiça é a peça chave no processo de Magno. A testemunha era para ter sido ouvida no dia 19, porém não compareceu a audiência.

As audiências devem durar até o início do ano que vem, devido ao grande número de acusados.

Final de semana violento
Os mais de 30 assassinatos ocorreram em diversas Zonas de Manaus, entre os dias 17 a 20 de Julho do ano passado. Para investigar os crimes, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) deflagrou a Operação ‘Alcateia’, que contou com o apoio da Polícia Federal no Amazonas (PF-AM) e do MPE-AM.

Nas investigações foram identificados policiais militares suspeitos de envolvimento com a atividade de extermínio, além de três cidadãos civis associados ao grupo.

Durante a operação foram apreendidos carros, motos, pistolas, revólveres, escopeta, arma de choque não letal, além de droga. Os crimes começaram após o assassinato do sargento Camacho, que foi vítima de latrocínio, quando deixava uma agência bancária no bairro Educandos, na Zona Sul de Manaus.

Por equipe EM TEMPO Online

Com informações de Michelle Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir