Sem categoria

Mais de 5 mil são prejudicados com suspensão de concursos no Amazonas

Melo havia divulgado concursos após reeleição, no final do ano de 2014 - Foto: Diego Janatã

Melo havia divulgado concursos após reeleição, no final do ano de 2014 – Foto: Diego Janatã

Os concursos da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e da Secretaria de Estado de Fazenda do Amazonas (Sefaz-AM), que seriam realizados ao longo de 2015, estão suspensos. De acordo com o Governo do Amazonas, que fez o anúncio nesta terça-feira (22), o cenário de crise econômica em que o país se encontra, atualmente, tem influenciado na suspensão dos certames. Somente na PM, 5 mil vagas deixaram de ser ocupadas.

As vagas foram anunciadas pelo governador José Melo (Pros), durante entrevista concedida em outubro de 2014, ao programa AGORA, da TV EM TEMPO.
De acordo com Melo, o motivo para o adiamento das provas, se dá em razão dos efeitos da crise econômica .

Em nota, a Secretaria de Comunicação do Estado (Secom) informou que “o Governo do Amazonas cortou despesas que pudessem impactar na folha de pagamento do Estado, sob pena de ultrapassar os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal”.

A Polícia Civil também destinou mais de 500 vagas para completar o quadro de funcionários, mas os editais nem chegaram a ser lançados. Ao todo, 548 vagas deixaram de ser preenchidas por conta da crise econômica.

Com a aplicação do concurso, vagas para investigador, escrivão, entre outras, seriam oferecidas para melhorar o desempenho da segurança, além de fortalecer as políticas públicas de combate à violência urbana e ao crime organizado.

Ao EM TEMPO Online, o Corpo de Bombeiros informou que não há previsão para realização das provas. Com a suspensão, cargos de soldados e oficiais combatentes deixaram de ser ocupados.

Ainda conforme o Governo do Estado do Amazonas, “no início deste ano, a Sefaz-AM também planejou a realização de concurso, mas sem número de vagas definidas”, informou.

Além dos concursos que seriam oferecidos pelo Estado, outros certames também foram adiados. Como é o caso da Câmara Municipal de Manaus (CMM), que destinaria de 30 a 50 cargos, que atenderiam a demanda da TV Câmara Manaus, conforme informou a assessoria de comunicação da casa legislativa.

De acordo com assessoria da CMM, o motivo para a suspensão do certame “se deu por conta da não liberação do canal aberto da TV Senado, que ainda aguarda a finalização dos trâmites burocráticos na capital federal, Brasília”.

Ainda de acordo com a CMM, “o presidente Wilker Barreto (PHS) priorizou a revisão do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) dos servidores efetivos da CMM, que há dez anos aguardam pela medida. Uma comissão especial já está trabalhando do novo plano que deverá ser exequível ao orçamento da CMM. Por enquanto não há definição de um novo certame”, informou a pasta.

 

Por Luis Henrique Oliveira

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir