Eleições 2016

Mais de 4 mil detentos não fazem cadastramento biométrico exigido pelo TRE-AM e ficam impedidos de votar

Atualmente, o sistema prisional do Amazonas tem 10.541 detentos - foto: arquivo EM TEMPO

Atualmente, o sistema prisional do Amazonas tem 10.541 detentos – foto: arquivo EM TEMPO

Nenhum dos 4.497 detentos provisórios que cumprem pena no sistema prisional do Amazonas irão votar na eleição deste ano. A informação foi confirmada na tarde desta sexta-feira (30) pela Secretaria de Estado e Administração Penitenciária (Seap) e o não cadastramento biométrico dos presos é a justificativa dada pelo órgão.


Conforme informou a Seap, foi solicitado pelo Tribunal Eleitoral Regional do Amazonas (TRE-AM), em fevereiro deste ano, o cadastramento biométrico para os presos provisórios do sistema prisional do estado, porém o tribunal frisou não ser possível realizar a efetivação da revisão biométrica em tempo hábil para que os provisórios pudessem participar das eleições de 2016.

O TRE-AM informou que não realizou o cadastramento dos presos porque a ação demandaria muito tempo e teria que ser montado uma grande estrutura dentro dos presídios da capital para realizar os procedimentos.

“Para realizar os cadastramentos teria que ser montado uma grande estrutura, fato que demandaria muito tempo. Então, se a agente realizasse os cadastramentos deles, as pessoas que não tem irregularidades com a justiça iriam ficar sem votar, pois não daria para fazer os dois procedimentos no tempo determinado”, explicou Gláucio Sousa, assessor do TRE.

Ainda conforme o TRE-AM, em novembro deste ano quando os cadastramentos biométricos forem novamente liberados, serão realizados os procedimentos dos internos, pois o órgão terá mais tempo até as próximas eleições.

Atualmente, o sistema prisional do Amazonas tem 10.541 detentos, sendo 7.732 nos presídios da capital e 2.809 no interior.
Em 2014, 9 mil detentos cumpriam pena no Amazonas, sendo 5.118 provisórios. Desse total, apenas 80 presos foram cadastrados para votação na época.

Outros estados

Além do Amazonas, os estados de Alagoas, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Tocantins também não vão realizar eleições para presos provisórios neste ano. No Distrito Federal, não há eleições para prefeito e vereador.

Já os demais estados do país irão realizar as eleições com um total de 5.973 presos provisórios e adolescentes infratores.

Por Mara Magalhães

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir