Dia a dia

Mais de 24 mil domicílios em Manaus apresentam focos do Aedes aegypti, diz Eletrobras

O primeiro relatório sobre focos do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus em Manaus, foi divulgado na tarde desta terça-feira (19) pela Eletrobras Distribuição Amazonas. De acordo com os dados coletados pelos leituristas da empresa , durante o mês de março, 24.166 domicílios na capital apresentam prováveis criadouros do Aedes aegypti.

No documento apresentado ao secretário Municipal de Saúde, doutor Homero de Miranda Leão, são identificados os endereços com os nomes das ruas e bairros onde os leituristas (profissionais que fazem a leitura do consumo de energia elétrica em cada unidade consumidora) encontraram focos do mosquito.

“Iniciamos em março esta parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, via Fundação de Vigilância e Saúde (FVS), e com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que são os órgãos responsáveis pela saúde pública. Entregamos o primeiro relatório com os resultados do trabalho de nossa equipe de leituristas”, explicou a diretora Comercial da Eletrobras Amazonas, Andressa Oliveira.

Segundo o relatório, há possíveis criadouros do Aedes aegypti em todas as zonas geográficas de Manaus. “Nossos leituristas foram treinados pelos profissionais da FVS para identificar esses focos e registrá-los em nosso sistema. A partir desta ação, geramos um relatório que foi entregue ao secretário”, destacou a diretora, informando ainda que o trabalho vai continuar nos próximos meses.

O presidente da Eletrobras Distribuição Amazonas, Antônio Carlos Faria de Paiva, lembrou que a equipe de leituristas percorre todos os quase 500 mil domicílios atendidos pela concessionária nas áreas urbana e rural de Manaus. “Desta forma, conseguimos cobrir praticamente toda a capital levantando os dados que vão ajudar os órgãos de saúde no combate ao mosquito”, informou Antônio Paiva.

O secretário Homero de Miranda Leão agradeceu a colaboração da Eletrobras Distribuição Amazonas nesta ação de saúde pública. “Estas informações vão somar ao nosso banco de dados e, com certeza, nos ajudarão a combater os focos do mosquito”, afirmou.

 

1 Comment

1 Comment

  1. Larissa

    24 de abril de 2016 at 22:00

    Bom, só faltou o mais importante, o relatorio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir