Dia a dia

Mais de 200 residentes do Viver Melhor 2 são cadastrados para inserção no mercado de trabalho

Além dos cursos de qualificação e capacitação profissional, os moradores tiveram acesso a atividades socioeducativas como palestras e oficinas, mutirões de saúde e vários serviços - foto: divulgação

Além dos cursos de qualificação e capacitação profissional, os moradores tiveram acesso a atividades socioeducativas como palestras e oficinas, mutirões de saúde e vários serviços – foto: divulgação

Duzentas e oitenta pessoas beneficiárias da segunda etapa do residencial Viver Melhor foram cadastradas nesta sexta-feira, (4), pela prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal do Trabalho, Emprego e Desenvolvimento (Semtrad) e o Sine Manaus, para possível inserção no mercado de trabalho.

A ação foi realizada no bairro Lago Azul, Zona Norte da cidade, e faz parte de um projeto técnico social que é executado há um ano pelo governo do Amazonas, por meio da Superintendência de Habitação do Amazonas (Suhab), em parceria com vários órgãos, entre os quais os municipais.

O projeto técnico social do programa federal ‘Minha Casa Minha Vida’ foi iniciado em fevereiro do ano passado e chega à etapa final com o objetivo de atender diretamente aqueles que estão desempregados naquela área da cidade.

Do total de 5,3 mil famílias (5.384) ou aproximadamente 26 mil pessoas que moram no bairro, 3,8 mil já foram beneficiadas por serviços oferecidos dentro da própria comunidade. A maioria vive em situação de extrema vulnerabilidade social.

Além dos cursos de qualificação e capacitação profissional, os moradores tiveram acesso a atividades socioeducativas como palestras e oficinas, mutirões de saúde e vários serviços, entre os quais a expedição de documentos e campanhas voltadas para o meio ambiente.

O trabalho envolveu 36 profissionais e encerra-se no fim deste mês. De acordo com o titular da Semtrad, David Reis, que representou o prefeito Artur Neto no evento, tanto o cadastramento quanto as demais ações realizadas fazem parte de um conjunto de finalidades que o poder público municipal tem para atender a população.

“É para isso que estamos aqui, para fazer com que o serviço chegue e beneficie a todos”, sintetizou o secretário.

Na avaliação da assistente social e coordenadora do projeto pela Suhab, Carliane Castro, o cadastro dos beneficiários no Lago Azul coroou todo o esforço de uma equipe multidisciplinar qualificada, exercido nos últimos 12 meses.

“Vale ressaltar o comprometimento de assistentes sociais, psicólogos, pedagogos, sociólogo e até de estagiários”, destacou Carliane.

Desempregada há dois anos e tendo que segurar as despesas em casa com o pouco que o marido ganha como ajudante de açougueiro, Dioneide da Silva, 34, busca uma vaga para auxiliar de serviços gerais. Outra opção é o cargo de agente de portaria, no qual foi especializada durante o curso realizado dentro do projeto técnico social. De posse do currículo e demais documentos, a dona de casa não tem preferência. O que ela quer mesmo é trabalhar. “Não vejo a hora de ser chamada logo”, disse.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir