Sem categoria

Mais comissionados serão exonerados em Iranduba

A prefeita declarou que está correndo contra o tempo para organizar as novas licitações - foto: Diego Janatã

A prefeita declarou que está correndo contra o tempo para organizar as novas licitações – foto: Diego Janatã

Há duas semanas no cargo como prefeita interina do município de Iranduba (a 25 quilômetros de Manaus), Madalena de Jesus revelou ao EM TEMPO que até janeiro de 2016 irá exonerar os demais funcionários que ocupam cargos de confiança na Secretaria Municipal de Educação e que deverá realizar concurso público para evitar servidores fantasmas.

Desde que assumiu a prefeitura de forma emergencial, após a prisão do prefeito afastado Xinaik Medeiros (Pros), ela já exonerou 13 secretários e 276 servidores comissionados.

Segundo explicou, as exonerações foram a forma que encontrou para descobrir a lista de funcionários “fantasmas”. “Não que os secretários fossem incompetentes, mas era preciso fazer essa mudança”, explicou. “Pedimos um relatório, que deve ser emitido nos próximos dias, para verificar como vamos conduzir as coisas por aqui”, acrescentou. As medidas, reforçou Madalena, são uma espécie de ‘limpeza’ na Prefeitura de Iranduba sem deixar de prestar os serviços públicos

Sobre os R$ 56 milhões desviados da prefeitura, conforme investigação do Ministério Público do Estado (MPE), que resultou na operação Cauxi e na prisão de Xinaik e outros secretários municipais, a prefeita interina disse que vai deixar nas “mãos” do MP e que o ressarcimento ocorra pela via da Justiça.

“Queremos dar andamento às obras de infraestrutura, tanto em Iranduba quanto no Cacau-Pirêra. Estive verificando que as máquinas utilizadas nas obras com licitações fraudadas estão todas esculhambadas. Estamos entrando com um pedido de urgência para que elas sejam substituídas e as obras tenham um andamento”, disse.

A prefeita declarou que está correndo contra o tempo para organizar as novas licitações, pregões e carta-convite que devem ocorrer nas primeiras semanas de dezembro.

Segundo Madalena, o Distrito de Cacau-Pirêra terá maior atenção, principalmente as ruas, que não estão pavimentadas. A gestora acrescentou que em 2016 deverá realizar um concurso público municipal para evitar a contratação de funcionários em cargos de confiança. “Estamos com uma pretensão de concurso público para a área da educação infantil. Tenho esperança que possamos deixar, até o fim dessa gestão, pelo menos algumas coisas organizadas. Quero pedir e espero contar com o apoio da população, que entenda que estamos aqui para somar e para dar ênfase nas necessidades de Iranduba. Quero ver esse município voltar a sorrir e ser feliz”, declarou.

Cassação

Ontem, os integrantes da Comissão Processante da Câmara Municipal de Iranduba, que analisará o pedido de cassação do mandato de Xinaik e dos três vereadores presos, se reuniram para decidir os procedimentos legais. O presidente da comissão, Jarmison Azevedo (PTB), afirmou que no momento não poderia divulgar muitos detalhes até que todos os pontos fossem acertados.

Ele alegou que vai atuar com transparência e sempre que possível manter a população atualizada sobre o caso. “Estamos cumprido o decreto lei 201/1967. Estamos verificando como proceder nessa cassação. Vamos deixar tudo bem limpo para a população. Temos um prazo de 45 a 90 dias para dar uma reposta à sociedade. Se vai haver perda de mandato por parte dos vereadores, só após o andamento das investigações é que poderemos saber”, comentou.

A prefeita Madalena de Jesus também pediu apoio da Câmara para a cassação dos vereadores Antônio Gerlande (PTN), Paulo Bandeira (PSD) e Antônio Alves, (PT). “Não depende apenas de mim, mas sim da Justiça que precisa de tempo para apurar as denúncias”, disse.

Por Michele Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir