Esportes

Lesionada, judoca amazonense pede adiamento de seletiva; Federação nega

Há duas semanas, a judoca Rafaela Barbosa entrou com um pedido de adiamento para o início da seletiva do Campeonato Brasileiro Sênior, que acontece às 9h deste sábado (8), no ginásio René Monteiro. O pedido se deu após uma lesão no ombro esquerdo, e a atleta também teve que passar por um procedimento cirúrgico em fevereiro deste ano. Impossibilitada de competir, a lutadora solicitou da Federação de Judô do Amazonas (Fejama) o adiamento de dois meses para a seletiva, tempo suficiente para retornar aos tatames, porém, o pedido foi negado.

“Solicitei o adiamento da seletiva há duas semanas e só nas vésperas das disputas que me deram um posicionamento. Acho isso um desrespeito, pois o papel de uma federação é de ajudar o atleta, não atrapalhar. Tenho grandes índices, não sou qualquer lutadora, sou a única judoca do Amazonas que faz parte da seleção brasileira, e o mínimo que eles podiam fazer era ver um meio de me ajudar, pois conquistei meus títulos após anos de luta, e em nenhum momento eles valorizaram estes quesitos, ou me apresentaram alternativas para um acordo”, declarou a lutadora, que ainda disse ter sido humilhada pelo presidente da Fejama, Aldemir Massa.

Já a Federação de Judô do Amazonas alega que nunca impediu nenhum lutador de competir e afirma que Rafaela Barbosa está fora do peso e lesionada, sendo que não há como adiar uma seletiva de um atleta apenas, tendo vários outros em dois meses de preparo para disputar.

“A Rafaela não é a única lutadora de destaque do Amazonas, temos Rita de Cássia e a Maria Taba, e tanto elas como outros atletas passaram dois meses se preparando para esta seletiva, portanto, seria injusto adiar um evento que representa tanto para nossos lutadores aqui do Amazonas. Sem falar que a Rafaela está fora do peso e lesionada, não tem como uma pessoa doente disputar o Campeonato Brasileiro”, declarou o presidente Aldemir Massa, que ainda disse dar uma oportunidade para Rafaela caso ela atinja o peso da categoria, que é de 52 quilos.

A judoca rebateu e disse que esta alternativa poderia ter sido dada com antecedência, pois assim teria como ter um tempo maior para a perda de peso.

“Desde o início eu disse que estaria à disposição deles, mas nunca me deram uma ligação sequer. Amanhã (hoje), estarei lá para me pesar, mas quero que eles me provem por meio de documentação que a seletiva vai ser adiada, pois já fui tratada da pior forma possível por eles, e caso não cumpram o combinado, irei atrás dos meus direitos Na Justiça”, declarou a judoca, que atualmente é reserva de Érika Miranda na seleção brasileira sênior.

Barreiras no esporte

Esta não é a primeira vez que Rafaela Barbosa enfrenta barreiras no esporte, isso porque ano passado a atleta teve a exclusão do auxílio Bolsa Atleta municipal, que dificultou sua ida para torneios nacionais devido à falta de recursos financeiros da época.

“Fiquei quase um ano sem receber o Bolsa Atleta, e com isso não consegui ir para quase nenhum campeonato, o que dificultou muito as coisas para mim, pois a trajetória de um lutador está constantemente ligada aos treinos em competições e testando seus conhecimentos em diversas partes do país”, declarou a lutadora ao comentar sobre o momento difícil da carreira.

Por Wal Lima

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir