Esportes

Leo de Deus avança nos 200m borboleta

Em uma manhã com quase 100% de aproveitamento para o Brasil nas eliminatórias do Mundial de Kazan, um imprevisto quase pôs em risco a vaga na semifinal dos 200 m borboleta a Leonardo de Deus nesta terça-feira (4).

Ranqueado com o sexto melhor tempo da prova na competição, ele estava a caminho da área de espera para disputar sua série quando reparou que sua bermuda estava rasgada.

“O Fastskin [nome do produto] rasgou justo na hora do balizamento. Eu sempre trago duas para competir e fui trocar, mas foi na correria”, comentou Leonardo. “Vi rasgado e falei: ‘Nossa’!”

Na hora da prova, ele conseguiu contornar o problema e venceu sua série com o tempo de 1min55s83, abaixo do que projetava. Na classificação geral, ele foi o sexto melhor (o primeiro tempo registro foi do húngaro Laszlo Cseh, com 1min53s71). As semifinais ocorrerão a partir das 11h30 (de Brasília) desta terça.

“Se eu falar que não fiquei nervoso, estarei mentindo. Mas foi uma boa prova, só saí um pouco ‘adrenalizado’. Para a tarde vou colocar uma bermuda melhor. Quero entrar na final, porque aí tudo pode acontecer”, disse o brasileiro.

Além de Leonardo, Felipe Lima e Felipe França avançaram nos 50 m peito com o quinto e oitavo tempos nas eliminatórias (27s10 e 27s37, respectivamente). Na série em que Lima nadou, o sul-africano Cameron van der Burgh bateu o recorde mundial da prova, com 26s62.

“Foi bom nadar a prova ao lado do recordista mundial. Eu acompanhei o Cameron durante toda a prova, mas caí no fim. Mas terei que nadar mais forte na semifinal”, afirmou Lima.

França, que foi campeão mundial da prova, disse que não economizou energia para avançar. “Para de manhã está bom. Agora é etapa por etapa. Em prova de 50 m não tem como preservar.”

Nos 200 m livre feminino, Manuella Lyrio obteve a marca de 1min58s68 e se classificou com o 16º tempo. Larissa Oliveira acabou eliminada ao fazer 2min00s35, apenas 27º no geral.

“As outras meninas ainda estão um nível acima, mas estou feliz. Quero aproveitar essa oportunidade de nadar a semifinal”, afirmou Manuella.

Ela nadou na mesma série da norte-americana Katie Ledecky e da húngara Katinka Hosszu, que fizeram os dois melhores tempos e estão entre as melhores nadadoras do mundo na atualidade. “Elas são de outro mundo”, constatou Manuella.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir