Sem categoria

Laudo de acidente com ciclista aponta que motorista é culpado

Conforme o titular da DEAT, delegado Luiz Humberto Monteiro, o laudo já foi encaminhado à Justiça - foto: Ione Moreno

Conforme o titular da DEAT, delegado Luiz Humberto Monteiro, o laudo já foi encaminhado à Justiça – foto: Ione Moreno

O laudo do acidente que vitimou o idoso Antônio Simão de Lima Araújo, 61, no último dia 21 de maio, deste ano, na avenida Djalma Batista, Zona Centro-Sul da cidade, apontou que o motorista da empresa de ônibus Líder, Robert de Oliveira Mota, 29, cometeu procedimento irregular no momento da ultrapassagem. A informação foi divulgada na tarde desta quarta-feira (22) pela Delegacia Especializada em Acidentes de Trânsito (DEAT).

Na ocasião do acidente o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) emitiu um laudo e o indicando que o coletivo estava em velocidade compatível para a via, ressaltando ainda que a pista não possui faixa exclusiva para ciclistas. Conforme o parecer, o condutor do ônibus não cometeu nenhuma infração, entretanto as imagens captadas pelas câmeras de uma loja próxima ao local do acidente, é possível constatar que o veículo passa bem próximo ao idoso, segundos antes dele cair no asfalto.

De acordo com o artigo 201 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), é considerada infração média ‘deixar de guardar a distância lateral de 1,5 metro ao ultrapassar bicicletas’. Além de testemunhas relatarem minutos após acontecimento, que o motorista e os representantes legais do Sinetram e da empresa Líder, afirmaram na delegacia que o idoso havia se desequilibrado.

Já o laudo oficial da DEAT  aponta que o coletivo estava em velocidade compatível para a via, e ainda que a pista não possui faixa exclusiva para ciclistas. O documento indica que o condutor do ônibus cometeu infração, pois, as imagens captadas pelas câmeras de uma loja próxima ao local do acidente, foi possível constatar a veracidade em que o veículo passa bem próximo ao idoso, segundos antes dele cair, configurando a infração que o condutor do ônibus coletivo, não cumpriu à distância lateral exigida pela legislação brasileira de trânsito que é de 1,5m.

De acordo com o titular da Delegacia Especializada em Acidentes de Trânsito (DEAT), delegado Luiz Humberto Monteiro, o resultado do laudo emitido pelo Instituto Médico Legal (IML), sobre o caso do ciclista Antônio Simão de Lima Araújo, que tinha 61 quando morreu, constou como causa determinante o procedimento irregular do motorista no momento da ultrapassagem da bicicleta, pelo fato do condutor não cumprir à distância lateral exigida pela legislação brasileira de 1,5m. Ainda conforme a autoridade policial, o laudo já foi encaminhado à Justiça.

Por Mairkon Castro

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir