Esportes

Larissa Oliveira bate 2º recorde no Maria Lenk e leva vaga olímpica nos 100 m

À maneira tipicamente mineira, Larissa Oliveira, 23, tem se convertido em um dos grandes nomes do Troféu Maria Lenk de natação.

A atleta bateu nesta terça-feira (19) o recorde sul-americano dos 100 m livre, com a marca de 54s03, na final da prova. Ela baixou em 23 centésimos o tempo continental anterior, que pertencia a Etiene Medeiros -segunda colocada na decisão, com o tempo de 54s50.

No sábado, Larissa havia quebrado a marca sul-americana dos 200 m livre, com um registro de 1min57s37, que representou uma melhora de sete décimos em relação ao tempo anterior. Ela é responsável pelos dois únicos recordes do tipo no campeonato.

Com as performances, a nadadora assegurou vaga para disputar as duas provas nos Jogos Olímpicos do Rio, em agosto. Será sua primeira Olimpíada.

A velocista contou que ficou muito desmotivada após atuações apagadas no Pan de Toronto e no Mundial de Kazan, entre julho e agosto do ano passado, quando ficou longe de repetir seus melhores tempos.

“Fiquei muito chateada depois do Pan. Tive que construir meu castelo de novo”, disse ela, nascida em Juiz de Fora. “Precisei dar um tempo, me recompor. Ninguém gosta de nadar mal.”

Larissa acredita que retomou a boa forma -ela havia sido recordista sul-americana dos 100 m livre em 2014- à base de muito treino e dedicação. E também um trabalho em separado com sua psicóloga.

A equipe feminina do Brasil terá, no Rio, uma delegação maior do que em Londres-2012, quando foram quatro representantes. Até o momento são oito atletas: além de Larissa e Etiene, Manuella Lyrio, Joanna Maranhão, Jéssica Cavalheiro, Gabrielle Roncatto, Daiene Dias e Daynara de Pauta estão classificadas.

EMPATE INCOMUM

Na prova mais aguardada do dia, Thiago Pereira e Henrique tiveram um incomum empate na final dos 200 m medley. Ambos registraram 1min59s71 no placar (4º tempo da temporada).

Pereira é atual vice-campeão mundial, e Rodrigues foi ouro no Pan de Toronto. Nesta terça, eles mantiveram parciais iguais por toda a prova e bateram juntos para ratificar índice olímpico para a distância.

“A primeira vez que eu empatei faz muito tempo. Foi no Troféu Brasil [atual Maria Lenk] de 2002, em Brasília. E agora é a segunda vez que estou empatando nos 200 m medley”, afirmou Pereira, que foi quarto colocado na prova nas duas últimas Olimpíadas.

“É uma alegria muito grande estarmos garantidos nas Olimpíadas, que é o que conta e o que viemos buscar aqui”, emendou Rodrigues.

Nos 200 m costas, Leonardo de Deus assegurou lugar na seleção do país para a Rio-2016 com uma vitória na decisão. Ele marcou 1min57s57, 14 centésimos pior do que havia feito na primeira seletiva, em Palhoça (SC), em dezembro.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir