Economia

Kátia Abreu pede coragem dos empresários para exportar produtos agrícolas

Katia Abreu evitou responder se haverá nova elevação dos juros e se será maior que a do ano passado, quando as taxas do programa subiram em média um ponto percentual – foto: Valter Campanato/ABr

Katia Abreu evitou responder se haverá nova elevação dos juros e se será maior que a do ano passado, quando as taxas do programa subiram em média um ponto percentual – foto: Valter Campanato/ABr

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu, fez hoje (28) um apelo aos empresários brasileiros que participam do Conselhão para que se encorajem e invistam em exportações.

Ela fez uma exposição dos planos e metas do governo brasileiro para o comércio exterior de produtos agropecuários, citando os benefícios e as oportunidades de aumento das vendas internacionais.

“Vendendo lá fora, estamos fortalecendo indústria local e garantindo emprego. Precisamos vender como nunca. Precisamos encorajar os empresários a exportar.”

Kátia Abreu lembrou os 22 países que são destinos prioritários do Brasil. A ministra acrescentou que o governo pretende chegar até o fim de 2018 sendo responsável por 10% do comércio do agronegócio mundial.

“A classe média asiática vai crescer até 2030. A Ásia terá 60% da classe média do mundo”, afirmou em referência aos países do continente como possível fonte de melhoria da balança comercial.

A reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Conselhão, começou por volta das 15H. Na abertura, o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, disse que as democracias mais maduras se utilizam do conselho.

“Não substituímos aquele que tem a legitimidade e legalidade de ser o fiscal do governo e fazer as leis do país, que é o Congresso Nacional, mas as democracias mais modernas do mundo trabalham assim.”

A presidenta Dilma Rousseff participa da reunião e deverá falar ao fim do evento. O primeiro a se pronunciar foi o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco. Depois, será a vez dos ministros da Agricultura, Kátia Abreu, da Fazenda, Nelson Barbosa, e do Desenvolvimento, Armando Monteiro.

Em seguida, falarão o ministro do Planejamento, Valdir Simão, e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. Além deles, oito conselheiros farão pronunciamento.

Segundo Wagner, deverão ser feitas quatro reuniões no ano. A próxima será em abril. Ele deu posse aos conselheiros no início da cerimônia.

O conselho tem 47 empresários e 45 representantes da sociedade civil e das centrais sindicais. Apesar de a intenção ser a de ouvir os conselheiros sobre as medidas a serem adotadas para recuperar o crescimento, a expectativa é que a área econômica anuncie medidas de estímulo ao crédito e ao aumento das exportações.

 

Por Agencia Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir