Esportes

Justiça volta atrás e derruba liminar que suspendia partida entre Fast Clube e Paysandu

O relator do processo, Paulo César Salomão Filho, justificou “que a não realização da partida irá gerar grandes prejuízos ao desenvolvimento do campeonato”. - foto: arquivo EmTempo

O relator do processo, Paulo César Salomão Filho, justificou “que a não realização da partida irá gerar grandes prejuízos ao desenvolvimento do campeonato”. – foto: Arquivo Em Tempo

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) reconsiderou o recurso  da equipe do Águia de Marabá por escalação irregular na Copa Verde, nesta terça-feira (22) e suspendeu a liminar que impedia a partida entre o Fast Clube e Paysandu. O relator do processo, Paulo César Salomão Filho, justificou “que a não realização da partida irá gerar grandes prejuízos ao desenvolvimento do campeonato”. O julgamento está previsto  para o dia 31 de março.

O Departamento de Competições da CBF apresentou petição no STJD pedindo a reconsideração da decisão de suspensão do jogo sob a alegação que a realização das partidas posteriores foram programadas apenas para viabilizar a realização da competição que ficaria prejudicada, visto que a mesma só é disputada em 10 dias.

O documento esclareceu ainda, que toda a programação prévia à realização da partida já foi realizada pela Confederação Brasileira de Futebol com alto custo à todos os envolvidos, já tendo sido vendido ingressos para o duelo.

Confira na integra trecho da nota publicada no site do STJD:

“Mediante as informações apresentadas, o relator Paulo César Salomão Filho reconsiderou parcialmente a decisão do efeito suspensivo para manter o jogo entre Fast Clube e Paysandu para o próximo dia 24 na Arena da Amazônia e justificou que a não realização irá gerar grandes prejuízos ao desenvolvimento do campeonato, mas condicionou a homologação do resultado somente após o julgamento final do recurso no STJD do Futebol. 

“Diante dos elementos fáticos apresentados pela entidade organizadora da competição (ente que tem como finalidade precípua defender os interesses do esporte e o bom andamento da competição), verifica-se que a manutenção da decisão que determinou a suspensão da partida envolvendo o Paysandu (PA) x Fast Clube (AM), relativas ao GRUPO A da 1ª Fase da Copa Verde 2016, irá gerar grandes prejuízos ao desenvolvimento de todo o campeonato e aos demais participantes, de modo que reconsidero em parte a decisão concessiva do efeito suspensivo previamente proferida, possibilitando a realização da partida em questão, condicionando a homologação dos resultados ao resultado final do presente processo”, informou o relator.

Por Equipe EM TEMPO Online

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir