Dia a dia

Justiça suspende greve dos rodoviários de Manaus nesta quarta-feira

Os ônibus devem circular normalmente neste quarta-feira – Divulgação

A desembargadora plantonista do Tribunal Regional do Trabalho do Amazonas (TRT-AM), Solange Maria Santiago Morais, determinou, no início da noite desta terça-feira (20), acatando um pedido do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), que a frota de ônibus do transporte público de Manaus não fique paralisada nesta quarta-feira (21). A magistrada suspendeu a paralisação geral dos rodoviários após verificar irregularidades no processo legal para a realização do movimento grevista.

A juíza determinou ainda uma multa de R$ 60 mil por hora de paralisação ao Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Manaus (STTRM) se a determinação for descumprida. A categoria havia decretado greve geral por tempo indeterminado a partir da meia-noite desta quarta-feira.

Segundo a magistrada, as nove empresas que atuam no transporte coletivo de Manaus não podem ser prejudicadas, assim como a população de mais de 2 milhões de habitantes. Por dia, 800 pessoas utilizam o transporte público na capital amazonense.

No parecer, Solange Maria ainda avaliou que não haveria o tempo hábil de 72 horas, de acordo com a Legislação, desde o anúncio oficial sobre a paralisação até o início do movimento. Além do anúncio não ter tido ampla divulgação nos meios de imprensa e oficiais.

A juíza também relatou que o motivo pelo qual o sindicato alega como justificativa para o movimento paredista, já é objeto do Dissídio Coletivo – que está sendo analisado pelo órgão em outra ação judicial. A categoria exige o reajuste salarial  anual.

A reportagem tentou contato com o presidente do STTRM, Givancir Oliveira, mas as ligações não foram atendidas até a publicação desta matéria.

Bruna Souza

EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir