País

Justiça suspende direito de Suzane de cumprir prisão em regime semiaberto

A Justiça suspendeu o direito de Suzane von Richthofen de cumprir a pena em regime semiaberto.

Condenada a 39 anos de prisão pela morte dos pais, Suzane está na Penitenciária Feminina de Tremembé (a 147 km de São Paulo), no interior de São Paulo.

A suspensão foi dada na segunda-feira (9) pela juíza Wania Regina Gonçalves da Cunha, da Vara de Execuções Penais de Taubaté (interior de São Paulo), após Suzane ter informado um endereço errado do local onde ficaria durante a saída temporária de Dia das Mães.

A direção do presídio foi informada nesta terça (10).

De acordo com reportagem do “Fantástico”, da TV Globo, Suzane iria ficar na casa de amigos em Angatuba (350 km de Tremembé). No endereço informado à Justiça, no entanto, funciona uma loja de tecido.

Segundo a juíza, a decisão é temporária e será reavaliada depois de Suzane ser ouvida a respeito. Trata-se, diz a juíza, de suspeita de falta disciplinar grave.

Saídas temporárias

Enquanto a decisão valer, Suzane perde o direito à saídas temporárias.

No regime semiaberto, os presos têm direito a cinco saídas temporárias ao ano (Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Pais, Dia das Crianças e Natal/Ano Novo).

A saída temporária havia sido autorizada pela Justiça, com aval do Ministério Público. Ela teria de voltar à penitenciária nesta terça (10), segundo a Secretaria da Administração Penitenciária, mas retornou ainda no domingo (8).

Ela estava em Angatuba para encontrar o novo namorado, segundo o site da revista “Veja São Paulo”.

O crime

Suzane, seu ex-namorado Daniel Cravinhos e o irmão dele, Christian, foram condenados pelos assassinatos de Manfred e Marísia von Richthofen, ocorridos em 2002. Os irmãos Cravinhos estão no regime semiaberto desde 2013.

Há um ano, a Justiça de São Paulo determinou que a herança da família Von Richthofen seja entregue apenas ao irmão de Suzane, Andreas Albert von Richthofen. Na sentença, o juiz determinou que ela deveria ser excluída da partilha dos bens por considerá-la “indigna”. A herança é calculada em mais de R$ 3 milhões.

Em 2014, Suzane se casou com Sandra Regina Gomes, condenada a 27 anos pelo sequestro e morte de um adolescente em Mogi das Cruzes (SP). Mas Sandrão, como é conhecida, conseguiu a progressão para o semiaberto em fevereiro de 2015 e se mudou para outra unidade prisional, em São José dos Campos.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir