Sem categoria

Justiça realiza audiência de instrução de acidente que matou jovens na BR-174

_DSC0365

Amigos e familiares das vitimas estão ‘acampados’ com cartazes em frente a sala onde a audiência está ocorrendo fotos: Asafe Augusto

Com cartazes pedindo Justiça pela morte das estudantes Brenda Braga e Rayssa Rossi, ambas de 21 anos, amigos e familiares das jovens acompanharam a audiência de instrução movida pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) contra Tiago Fish, que era o condutor do veículo em que as duas estavam.  


O acidente ocorreu em fevereiro de 2015, na BR-174, quando um grupo de sete amigos voltava de Presidente Figueiredo, quando o carro capotou e caiu em um barranco.

Na época, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) havia afirmado que foram encontrados recipientes com bebida alcoólica no veículo. Apesar de o acidente ter ocorrido no ano passado, a primeira audiência só está acontecendo hoje (25), na vara de transito do fórum Henoch Reis, no bairro Aleixo, Zona Centro-Sul.

A demora no julgamento do processo tem causado indignação nos amigos das vitimas. A fisioterapeuta, Juliana Chã, afirma que o tempo ainda não matou as esperanças, mesmo que, segundo ela, a justiça seja falha nos julgamentos de crimes de trânsito.

“Se não nos mexermos pedindo a justiça nada vai andar. Não vamos deixar a morte de duas jovens que estavam começando a vida ficar esquecida. Nos causa um martírio esperar um ano para que isso seja julgado”, disse a amiga de Brenda.

 

_DSC0384

Após prestar depoimento, um dos ocupantes do veiculo, o jovem Uatuamã Rocha, cumprimentou os amigos das vitimas – foto: Asafe Augusto

Após acompanhar alguns dos depoimentos, inclusive de Bruna Saraiva – que na época do acidente era namorada do condutor – a mãe de Brenda, Antônia Braga, se entregou aos prantos e com os olhos cheios de lágrimas afirmava aos amigos. “A Bruna mentiu. Ela disse a juíza que o Tiago não bebeu, mas isso é mentira. Ela é tão criminosa quanto o Tiago”, esbravejou Antônia ao destacar que ao deixar a sala de interrogatórios, Bruna teria rido com ironia.

“Ela anda debochou de nós que estamos sofrendo. Espero que ele (Tiago) seja condenado e sirva de exemplo”, afirmou.

Durante a audiência a defesa pediu que mais provas sejam juntadas ao processo e será expedido ofício ao Detran a respeito. Depois disto, então, deverá haver o interrogatório do acusado e a apresentação dos memoriais.

Somente após a concluídas estas etapas é que será proferida a sentença pela juíza Luíza Cristina Nascimento da Costa Marques, titular da Vara Especializada em Crimes de Trânsito.

Por Asafe Augusto

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir