Dia a dia

Justiça decreta prisão de 4º envolvido no sequestro de técnico de refrigeração

Delegado DEHS

A polícia aguarda que o PM se apresente espontaneamente. foto – Arthur Castro

Mais um cabo da Polícia Militar teve o pedido de prisão preventiva decretada pela participação no sequestro do técnico em refrigeração Marinaldo Franco de Araújo Filho, 42, ocorrido no 21 de janeiro deste ano. O militar é identificado como cabo Amaral  é lotado no Batalhão de Guarda da PM, mas prestava serviço no Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat). A informação foi repassada pelo titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) Ivo Martins, em coletiva realizada nesta quarta-feira (24) na sede da especializada.

A representação do pedido de prisão preventiva de Amaral foi feita por Ivo Martins, na última sexta-feira (19) e foi aceita pelo juiz da 10º vara criminal, Genezino Braga Neto, que expediu o mandado na quarta-feira (24). Agora a equipe da DEHS aguarda a apresentação espontânea do PM à sede da delegacia, ainda está semana, mas que pode ocorrer a qualquer momento.

 

De acordo com o delegado Ivo Martins, não há dúvidas da participação dos policiais no sequestro de Marinaldo. “Nós acreditamos que essas pessoas que estão presas, participaram efetivamente do sequestro e da extorsão. Não temos dúvidas disso. Se eles estavam exigindo pagamento de resgate isso nos leva a crer que eles sequestraram a vítima, apesar de eles negarem. Eles falam que não sabem sobre o paradeiro da vítima. O que não podemos afirmar no momento é se Marinaldo está efetivamente morto, porque ainda não tem corpo, mas a gente acredita ainda que ele esteja sequestrado, ”.

Ivo Martins informou ainda que já foi confirmado que os policiais militares presos já tinham antecedentes criminais. “ Eles já tinham antecedentes criminais, por vários crimes, até por extorsão, salvo engano. Hoje mesmo um delegado de uma seccional me confirmou a participação em outros crimes, ” disse.

Mais três pessoas ainda estão sendo investigadas pela DEHS, mas o delegado não confirmou que sejam ou não PMs, e também não descarta a possibilidade de próprios membros da família da vítima estar envolvida em toda trama.  Todos os PMs confessam a participação no crime de extorsão, mas não admitem que participaram do sequestro.

 

Outros dois cabos da polícia militar, também lotados no Batalhão de Guarda, Cleber Gonzaga Oliveira de Lima, Watson Nascimento da Silva já haviam sido presos no último dia 16 de fevereiro, durante o recebimento da quantia de R$ 175 mil da esposa de Marinaldo, em um encontro marcado no posto Shel da avenida Darcy Vargas.

O terceiro participante Delmar Nogueira, também lotado no Batalhão de Guarda da PM foi preso no último domingo (21). “ O Delmar que foi preso no domingo confirmou à polícia a participação dos dois primeiros cabos que foram presos primeiramente, como também ajudou a polícia a chegar até a participação de Amaral no crime. Agora aguardamos a sua apresentação espontânea. Se não acontecer seremos obrigados a fazer o cumprimento do mandado, ” concluiu Martins.

O crime

No dia 21 de janeiro, Marinaldo saiu de carro com um parente, para entregar um documento e ao chegar na rua 37, do conjunto Manôa na Cidade Nova, foi abordado por dois homens ainda não identificados. O parente de Marinaldo fugiu do local correndo e a dupla sequestrou o homem no carro próprio carro da vítima. No mesmo dia o veículo foi encontrado nas proximidades de onde o crime aconteceu, com as portas abertas e ligado.

 

Por Joandres Xavier

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir