Política

Julgamento no TSE pode ser concluído até o fim do semestre, diz Gilmar

Questionado se um prazo mais razoável para a conclusão do julgamento não seria o segundo semestre, Gilmar Mendes apenas afirmou que “pode ser”- José Cruz/Agência Brasil

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, disse na noite desta quarta-feira (5) que o julgamento da ação que pede a cassação da chapa de Dilma Rousseff e Michel Temer pode ser concluído ainda no primeiro semestre de 2017.

“Acho que daqui a a pouco vamos retomar [o julgamento], vamos cumprir todo esse calendário, a oitiva dessas pessoas, a alegações finais, novo prazo e em seguida retomamos”, afirmou Gilmar Mendes.

“O tribunal vai conduzir bem esta matéria com todos Adões, Evas, serpentes e tudo mais”, afirmou o ministro – divulgação

“Talvez a gente termine ainda neste semestre. Como já brinquei com vocês, prognostico só depois do jogo, mas a gente pode julgar com maior rapidez”, disse o presidente do TSE em uma rápida passagem por um evento em uma churrascaria em Brasília.

O TSE suspendeu o julgamento do processo de cassação da chapa Dilma Roussef-Michel Temer após o plenário decidir nesta terça (4) conceder mais cinco dias de prazo para manifestação das defesas.

O relator Herman Benjamin recuou da posição dos últimos dias e durante a sessão aceitou dar o prazo, além de concordar em ouvir novas testemunhas. Com isso, a data de retomada do julgamento fica incerta.

Questionado se um prazo mais razoável para a conclusão do julgamento não seria o segundo semestre, Gilmar Mendes apenas afirmou que “pode ser”. “É possível que a gente tenha pedido de vista. O processo está muito longo, muito complexo e tudo mais. Temos muitas questões preliminares ainda para serem definidas, embora as questões mais delicadas eu acho que já foram contempladas agora e já foram corrigidas, evitando o regresso no meio do processo. Acho que vamos andar bem”, disse Gilmar Mendes.

Quando indagado se, politicamente, a eventual cassação da chapa seria temerária, o presidente do TSE disse que “primeiro é preciso julgar para depois condenar”. “Vamos aguardar. O tribunal vai deliberar com tranquilidade sobre isso. Tem um bom ambiente, bastante serenidade. O tribunal vai conduzir bem esta matéria com todos Adões, Evas, serpentes e tudo mais”, afirmou o ministro, brincando com uma declaração do relator do processo.

Benjamin disse na sessão de terça-feira que, para evitar a procrastinação, “não podemos ouvir Adão e Eva para que se intime a serpente”.

Daniel Carvalho

FolhaPress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir