Política

Juiz Cássio Borges assume presidência da Amazon

Juiz Cássio Borges assume amanhã direção da Amazon para um mandato de 2 anos na instituição-foto: divulgação

Juiz Cássio Borges assume amanhã direção da Amazon para um mandato de 2 anos na instituição-foto: divulgação

Com posse marcada para amanhã, o juiz Cássio Borges assume a presidência da Associação dos Magistrados do Amazonas (Amazon) para o biênio 2015/2017, com o desafio de trabalhar para recuperar a imagem da magistratura local junto à sociedade. Segundo ele, a categoria anda mal vista por uma “crise de comunicação”.

Ele também afirma que em sua gestão vai trabalhar para que a instituição tenha novas conquistas. A nova diretoria terá ainda 23 membros. Ela foi eleita em chapa única em julho deste ano. A presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargadora Graça Figueiredo, à época da eleição, garantiu que daria um voto de confiança ao juiz Cássio Borges. “Tenho certeza que ele será muito atuante, um biênio de grande valia para a associação e que ele possa fazer muito por todos os colegas que dedicam a sua vida a distribuir justiça”, disse a magistrada.

Sobre a falta de juízes no interior do Estado, o Borges afirmou que isso é um problema das escolas jurídicas. “Em janeiro tivemos um concurso para juiz substituto do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM). Das 35 vagas disponíveis para o Estado, houve apenas 16 aprovados e grande parte é de outros Estados”, afirmou.

O magistrado disse ainda que, apesar da precariedade da infraestrutura, o Estado do Amazonas está em primeiro lugar em celeridade na resolução de processos, e em terceiro em todo o país.

Conquistas tardias

Para ele, seu mandato será em defesa das garantias da magistratura e dos direitos dos magistrados. Cássio Borges enfatiza que lutará para igualar os diretos dos magistrados do Amazonas aos de outros Estados, pois segundo ele, a magistratura do Amazonas possui conquistas tardias. Também defenderá a melhoria das condições de trabalho, principalmente no interior do Estado, para que a prestação da Justiça seja mais célere e efetiva.

“Procurarei honrar a escolha de meus colegas todos os dias do mandato, sempre lembrando que o orgulho de representá-los não será maior que a responsabilidade de lutar pelas demandas do conjunto da magistratura. Queremos uma associação combativa sem ser beligerante”, garantiu.

Para o juiz Fábio Alfaia, que assume o Conselho Consultivo da Amazon, o papel da instituição é dar apoio a todos os magistrados e lutar pelos direitos da classe que representa, em âmbito estadual, a Associação dos Magistrados do Brasil (AMB). “Vamos cuidar de questões do dia a dia do magistrado. Buscar mais convênios para auxiliar os juízes nas suas atividades particulares. Um trabalho de defesa também junto à opinião pública mais intransigente e mais propositiva, lembrando a importância da figura do magistrado”, finalizou Alfaia.

Por Stênio Urbano

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir