Dia a dia

Jovens lideram estatísticas que envolvem acidentes de trânsito em Manaus, aponta Detran-AM

Jovens, com faixa etária entre 18 e 25 anos, representam 60% de envolvimento em acidentes de trânsito registrados no Amazonas - foto: divulgação

Jovens, com faixa etária entre 18 e 25 anos, representam 60% de envolvimento em acidentes de trânsito registrados no Amazonas – foto: divulgação

Jovens, com faixa etária entre 18 e 25 anos, representam 60% de envolvimento em acidentes de trânsito registrados no Amazonas. Entra as principais infrações cometidas por esses jovens está a condução do veículo sem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e/ou sob efeito de álcool, o excesso de velocidade e a utilização de celular ao volante. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (14), pelo Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), durante a abertura da Semana Nacional do Trânsito.

De acordo com o diretor-presidente do Detran-AM, Leonel Feitoza, a campanha deste ano é conscientizar os jovens que estão se preparando para tirar a CNH e as pessoas que estão habilitadas a menos de dez anos.

“No Amazonas, é muito grande o número de jovens que cometem acidentes de trânsito. É muito grande o número de jovens sem carteira de habilitação, mas o detalhe mais importante é que a grande maioria dirige com a permissão dos pais. Porque muitos estudam de manhã e os pais não querem levar para a escola e entregam a chave para o menor. Então se não tivermos a ajuda dos pais, da família, infelizmente não iremos conseguir chegar a lugar nenhum, porque a base de toda a sociedade é a família”, disse.

Além da cidade de Manaus, os municípios de Iranduba, Itacoatiara e Careiro receberão, ao longo da semana, uma blitz educativa. Conforme o diretor-presidente do Detran-AM, o número de acidente de trânsito com jovens desses municípios também é grande, principalmente em veículos de duas rodas.

“Vamos fazer uma campanha dentro das escolas, porque é interessante, que hoje nós fazemos programações nas escolas para as crianças e elas são nossas grandes aliadas. Nós queremos que esse exemplo das crianças que são nossas aliadas, passe para os jovens, para que eles possam se policiar, policiar os pais também, para que tenhamos um trânsito de paz. Escolhemos fazer campanha nos municípios também porque lá muitos jovens sofrem acidente e principalmente por acidente e moto’, destacou.

Além da intensificação das campanhas educativas nas ruas, nas escolas e nas estradas, Leonel Feitoza acredita que uma mudança severa nas leis poderá de fato mudar a realidade do trânsito no Brasil. Para ele o ideal é que o motorista que matasse no trânsito fosse punido de forma mais rígida.

“Ano passado, nós tivemos uma reunião da Associação Nacional dos Detrans (AND), com os diversos deputados, onde foi pedida a mudança dessas leis. Então já tramitam no Congresso Nacional algumas leis nesse sentido, para tornar mais rígidas as penas para quem dirige por exemplo embriagado e mata alguém. Nesse caso não será um crime culposo, será um crime doloso, e que seja apenado como um homicídio e não como um acidente comum”, opinou.

Por Michelle Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir