Sem categoria

Jovens entre 15 aos 24 representam mais de 26% de DSTs e HVI no Amazonas

O projeto visa ampliar o quadro de jovens educadores dentro desse quadro de educação sexual e de saúde - foto: divulgação

O projeto visa ampliar o quadro de jovens educadores dentro desse quadro de educação sexual e de saúde – foto: divulgação

Jovens na faixa etária dos 15 aos 24 anos representam 26,8% de pessoas com HIV e DSTs no Amazonas, informa a Coordenação de Combate ao HIV/Aids do Amazonas. A grande maioria deste grupo de risco é de jovens que não usa camisinha e não sabe que contraiu doença sexualmente transmissível.

Conforme e médica e infectologista Silvana de Lima e Silva, que também atua como coordenadora estadual de DTS-AIND do Amazonas, os jovens estão sendo treinados para trabalhar com outros jovens sendo que alguns até comportam o vírus das doenças sexualmente transmissíveis, mas a grande maioria não possui as doenças. “O objetivo do curso é capacitar cada vez mais jovens que estão em convívio social para que eles passem as informações e como se prevenir”.

Segundo a médica, o grande problema dessa faixa etária é que eles não fazem o teste da doença e acabam transmitindo o vírus. “As pesquisas apontam um crescimento dos jovens com as doenças sexualmente transmissível entre na faixa dos 15 aos 24 anos no Amazonas. O objetivo também é frear o avanço da doença, que não é nada confortável”, relata a especialista.

Um dos coordenadores do Projeto, Efraim Lisboa, diz que os jovens atuarão na orientação em escolas e em comunidades em que estão inseridos. “Os adolescentes fazem parte do grupo que prestam orientações. O grupo já atendeu a mais de 500 pessoas e o nosso foco principal são os jovens, a partir dos 14. Essa abordagem é diferenciada porque é de jovem para jovem, por isso a gente forma educadores sociais para falar com os jovens. Trabalhamos com a população que chamamos de vulneráveis, ou seja, onde tem a maior concentração de HIV”.

O projeto visa ampliar o quadro de jovens educadores. Dentro desse quadro de educação sexual e de saúde, visando ampliar a testagem para o HIV, então estamos fazendo treinamento de jovens, a partir de 18 anos para realizar a testagem.

Aumento de casos

De acordo com a UNICEF, A meta é que todos os governos signatários consigam fazer com que, até 2020, 90% das pessoas vivendo com HIV saibam que têm o vírus; e 90% das pessoas que sabem que têm o HIV estejam recebendo tratamento antirretroviral; e destas, 90% em tratamento antirretroviral tendo carga viral indetectável.

“Os números no Amazonas que preocupa a gente e precisar trabalhar a questão da prevenção, do combate e outras doenças sexualmente transmissíveis, porque as DSTS carregam juntamente o HIV, e quem não se previne de uma forma geral um dia irá contrair as doenças”, finalizou a médica Silvana de Lima e Silva.

 

Por Stênio Urbano

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir