Cultura

‘Jovens Criadores’ recebe o artista Otoni Mesquita no Casarão de Ideias

Segundo Mesquita, a vivência artística pretende explorar três grandes áreas: pessoa, lugar e tempo - foto divulgação

Segundo Mesquita, a vivência artística pretende explorar três grandes áreas: pessoa, lugar e tempo – foto divulgação

Depois de receber a professora Christine Greiner e os bailarinos Getúlio Lima e Adriana Góes, o programa de residência ‘Jovens Criadores no Amazonas 2016’ contará, em sua terceira etapa, com a presença do artista plástico Otoni Mesquita. A residência acontecerá de 17 a 28 de outubro, no anexo do Casarão de Ideias (Centro).

A iniciativa, criada e coordenada pela artista e performer Damares D’arc, tem como objetivo oferecer uma formação artística em dança contemporânea e performance art, para que jovens criadores de Manaus tenham a oportunidade de ampliar sua formação, por meio da imersão em um ambiente criativo e experimental.

“A residência tem como proposta artística e pedagógica o estudo em arte e a produção de conhecimento por meio da criação artística”, explica Damares.

O convite feito a Otoni Mesquita, segundo a coordenadora do programa, foi baseado em seu histórico intelectual e profissional, sendo um dos artistas plásticos mais reconhecidos no Amazonas. “Ele (Otoni) é um estudioso da arte e conseguirá compartilhar suas ferramentas sobre os processos da criação artística, por exemplo. Com isso, os criadores estarão cada vez mais preparados para fomentar o cenário artístico e cultural de Manaus”, avalia.

Segundo Mesquita, a vivência artística pretende explorar três grandes áreas: pessoa, lugar e tempo. “Tentando conjugar a relação do que somos com o lugar e o tempo em que vivemos, buscaremos identificar as coisas que ganham maior destaque na vida dos participantes, e como esses elementos podem ganhar destaque em suas criações. Serão desafios exploratórios no sentido de identificar e externar coisas que podem ser corriqueiras, mas que passam despercebidas”, adianta.

As atividades buscarão explorar diferentes possibilidades expressivas. Inicialmente, situações em que predominará a fala coloquial, mas pretendendo explorar outras possibilidades e situações.

“Não dispomos de uma receita ou fórmula com resultados garantidos, mas partimos do princípio de que a atenção e a concentração são capazes de descobrir inúmeras possibilidades. Qualquer coisa ou ação pode ser um pretexto para desencadear um trabalho de investigação”, comenta. O programa de residência já conta com 12 participantes que foram escolhidos, previamente, por meio de seleção pública.

Mestrado

Artista plástico desde 1975, Otoni Mesquita é formado em comunicação social (jornalismo) pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), possui graduação em gravura pela Escola de Belas Artes – Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mestrado em história e crítica da arte e já atuou como coordenador do Patrimônio Histórico da Secretaria de Estado de Cultura (SEC). Atualmente, é professor associado 1 do curso de artes visuais do Departamento de Artes da Ufam.

Jornal  EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir