Dia a dia

Jovem que matou e decapitou vigilante em Flores disse que a vítima lhe devia R$ 600

Vinícius foi indiciado por homicídio qualificado. Após os procedimentos será levado para a Cadeia Pública - foto: divulgação

Vinícius foi indiciado por homicídio qualificado. Após os procedimentos será levado para a Cadeia Pública – foto: divulgação

Vinícius Roberto de Lima Kossatz, 18, conhecido como ‘Ogro’ foi apresentado na manhã desta segunda-feira (18), na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), como responsável pela morte e decapitação do vigilante Marcos Antônio de Queiroz Filho.

O crime ocorreu no dia 19 de junho passado, em um terreno situado na rua Itaguá, conjunto Parque das Laranjeiras, bairro Flores, na Zona Centro-Sul de Manaus, e foi motivado por uma dívida de R$ 600.

Vinicius foi preso pela equipe da DEHS, na tarde da última quarta-feira (13), na barreira policial que dá acesso às rodovias BR-174 e AM-010, situada na avenida Torquato Tapajós, na Zona Norte, em cumprimento a mandado de prisão preventiva expedido dia 29 de junho, pela juíza do 1° Tribunal do Júri, Mirza Telma de Oliveira Cunha.

De acordo com o delegado Ivo Martins, titular da DEHS, o corpo de Marcos foi encontrado por populares. O cadáver apresentava perfurações ocasionadas por golpes de terçado. A vítima foi decapitada e teve a cabeça deixada a dez metros do local de onde foi encontrado o corpo.
Segundo testemunhas, Vinícius e Marcos estavam consumindo bebidas alcoólicas e usando drogas juntos horas antes do crime.

Populares relataram que viram o momento em que Vinícius saiu do lugar com um terçado ensanguentado nas mãos. Por meio das imagens de um vídeo encontrado no celular da vítima, a equipe de investigação da DEHS descobriu que a sandália achada no local do crime pertencia a Vinícius.

Conforme informações da polícia, o crime foi motivado por desentendimento entre os dois, por conta de uma dívida de R$ 600 que a vítima tinha com suspeito.

Durante as investigações, a equipe da DEHS recebeu informações que Vinícius estava voltando do município de Rio Preto da Eva, em direção a Manaus, em um automóvel modelo Hilux, cor vinho. Foi feita a abordagem ao carro e o suspeito foi capturado e conduzido até à sede da especializada, onde ele confessou e falou detalhes de como aconteceu o crime.

“Vinícius alegou que ele e Marcos tiveram quatro encontros íntimos e que certa vez o vigia teria prometido a ele os R$ 600 que motivaram o crime. O infrator disse que no dia do delito teria cobrado o dinheiro de Marcos, o que acabou motivando uma discussão entre eles. No que cabe à Polícia Civil, o caso está elucidado”, contou Ivo Martins.

O delegado ainda informou que Vinícius estava em liberdade provisória desde o dia 16 de junho. Ele havia sido preso por roubo.

Vinícius foi indiciado por homicídio qualificado. Após os procedimentos será levado para a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro da capital.

Versão

Já a família do vigilante contesta a versão dada pela polícia e afirma que a vítima não tinha nenhum envolvimento com o suspeito.

“Nos repudiamos a versão dada pela polícia. O meu filho não tinha nenhum envolvimento amoroso com o suspeito e nem devia nada a ele. O Marcos foi vítima de uma cilada, pois ele costumava denunciar vários roubos que eram praticados nas proximidades de onde trabalhava. Esse criminoso que matou meu filho de forma covarde já havia sido preso após uma denúncia feita pelo Marcos, por isso ele o matou. A polícia procurou o caminho mais fácil para solucionar o crime”, falou o pai da vítima, o professor Marcos Queiroz, 48.

O pai do vigilante também informou que acredita que o filho foi morto por mais de uma pessoa. “Na minha opinião, o Marcos foi morto por mais de uma pessoa. Esse Vinícius não tem estrutura para fazer tudo o que fizeram com o meu filho. Como pai, peço para o delegado ir além dos manuais da polícia e investigar mais esse crime. Meu filho era trabalhador e morreu no local do trabalho”, frisou o pai do vigilante.

Por Mara Magalhães

Colaborou Ana Sena

 

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir