Sem categoria

João Branco não fala durante depoimento este sábado na PF; ‘chefão’ da FDN pode ir para presídio federal a qualquer momento

O narcotraficante permaneceu todo o depoimento calado, disse o delegado da PF - foto: Ricardo Oliveira

O narcotraficante permaneceu todo o depoimento calado, disse o delegado da PF – foto: Ricardo Oliveira

O narcotraficante João Pinto Carioca, o ‘João Branco’, que chegou a Manaus na tarde desta sexta-feira (26), após ser preso em Pacaraima (RR), quando tentava entrar no Brasil, prestou depoimento na manhã deste sábado (27) na sede da Superintendência da Polícia Federal do Amazonas, mas permaneceu calado durante todo o interrogatório, informou o delegado da PF do Amazonas, Rafael Caldeira. O depoimento, que começou por volta das 9h, foi acompanhado pela advogada de defesa no narcotraficante.

Ainda conforme o delegado Rafael Caldeira, o depoimento de ‘João Branco’ não estava marcado, porém, como a polícia conseguiu uma vaga para o ‘Chefão’  da ‘Família do Norte’ (FDB) no presidio federal de Catanduvas, no Estado do Paraná, o narcotraficante teve que ser ouvido para poder encerrar o inquérito pela PF e assim ficar no aguardo para ser transferido.

“Ele permaneceu o tempo todo calado, não respondeu a nenhum dos questionamentos. Tomamos o depoimento hoje porque surgiu uma vaga no presidio federal e nós precisávamos ouvi-lo para encerrar o inquérito por parte da PF. Agora ele pode ser transferido a qualquer momento, está aguardo somente a liberação de uma aeronave que o levará até a unidade prisional de segurança máxima”, disse Rafael Caldeira ao EM TEMPO Online.

O delegado também informou que, desde a noite de ontem, a segurança foi reforçada na superintendência da PF. Policiais militares da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam)   estão de prontidão no local, juntamente com os agentes federais.

Foragido

Considerado um dos fundadores da facção criminosa Família do Norte (FDN), João Branco estava foragido desde março de 2014, quando fugiu do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), localizado no quilômetro 8 da BR-174. Ele foi recapturado na manhã da última quinta-feira (25), quando tentava entrar no Brasil pela fronteira com a Venezuela, portando uma identidade falsa, com o nome de ‘Jonatas Peres Soares’.

Ao apresentar a carteira de identidade, os agentes verificaram que o documento foi emitido no Amazonas, devido a isso suspeitaram da autenticidade e solicitaram informações da PF-AM, que confirmou que o documento era falso e que se tratava do narcotraficante.

O ‘potência máxima’, como o narcotraficante também é conhecido, era considerado o traficante mais procurando do Amazonas e estava sendo ‘caçado’ em mais de 188 países, pelos crimes de tráfico internacional de drogas, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Além desses crimes, o ‘Chefão’ da FDN também era procurado por ser o mandante e um dos executores do assassinato do delegado da Polícia Civil Oscar Cardoso, morto com mais de 20 tiros em março de 2014.

Os ‘batedores’’ que foram presos, junto com o ‘JB’, Alexandre de Oliveira Lemos, 35, Makysoniel Nogueira Braga, 31, e Antônio Oliveira, 21, ficaram na carceragem do presidio de Boa Vista (RR), à disposição da Justiça.

De acordo com o titular da Secretária de Administração Penitenciária (Seap), Pedro Florêncio, durante a noite de ontem houve um tumulto por parte dos presos do Compaj, e foi preciso solicitar reforço policial para a cadeia. Entretanto, durante este sábado, a tensão melhorou.

“Ontem solicitamos apoio da Polícia Militar para fazer a segurança no Compaj, por suspeita de uma possível rebelião relacionada à prisão de João Branco, mas hoje a tensão está melhor, ainda mais porque é dia de visita aos presos. Mesmo assim, a segurança foi reforçada, pois os internos do Compaj querem fazer uma certa pressão para que o narcotraficante seja levado para o presidio, disse o secretário.

Por Mara Magalhães

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir