Cultura

Jardim Botânico do Rio restaura e expõe obras de Mestre Valentim

O espaço do Jardim Botânico, chamado de Ateliê Mestre Valentim, é aberto a visitação pública e tem entrada gratuita- foto: Vitor Abdala/Agência Brasil

O espaço do Jardim Botânico, chamado de Ateliê Mestre Valentim, é aberto a visitação pública e tem entrada gratuita- foto: Vitor Abdala/Agência Brasil

O Jardim Botânico do Rio de Janeiro inaugurou neste sábado (19) um espaço permanente de exposição de quatro esculturas do século XVIII do Mestre Valentim. As esculturas das figuras mitológicas gregas Eco e Narciso, além das Aves Pernaltas, passaram por um minucioso processo de restauração, promovido pelo Jardim Botânico.

As quatro peças foram feitas inicialmente para ficarem expostas no Passeio Público, no centro da cidade. Depois de passarem por alguns locais, acabaram sendo doadas ao Jardim Botânico no início do século passado. No entanto, por estarem expostas às ações do tempo e da umidade, ficaram muito deterioradas.

De acordo com o diretor do Museu do Meio Ambiente do Jardim Botânico, José Nascimento Júnior, Narciso e Eco, de 1785, são consideradas as primeiras esculturas fundidas no Brasil. “Como o Brasil era colônia, para se fundir qualquer coisa tinha que pedir para a matriz, que era Portugal. Elas foram fundidas na Casa do Trem, que hoje é o Museu Histórico Nacional. Isso é fundamental para a história da arte no Brasil, até porque lá [na Casa do Trem] só se fundiam armas. Então, esse aspecto simbólico é importante: saímos da guerra para a arte”, disse.

As peças também são uma cápsula do tempo, já que, segundo a presidenta do Jardim Botânico, Samyra Crespo, as esculturas são recheadas com areia das praias cariocas. “As areias que estão ali, são as areias das praias do Rio de Janeiro da época da colônia”, destacou.

Valentim da Fonseca e Silva, o Mestre Valentim, nasceu em Serro (MG), em 1745, filho de fidalgo português com uma escrava. Foi contemporâneo de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, a quem é comparado por suas esculturas barrocas de cunho religioso.

A diferença de Valentim para Aleijadinho é que o primeiro também fez obras civis, como o Passeio Público, primeiro jardim de lazer carioca que existe até hoje, e instalações de saneamento e abastecimento de água.

O espaço do Jardim Botânico, chamado de Ateliê Mestre Valentim, é aberto a visitação pública e tem entrada gratuita. Além das quatro esculturas, o espaço mapeia a localização das principais obras de Valentim que estão expostas no Rio de Janeiro.

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir