Política

Itens da prefeitura de Maués são apreendidos na casa do ex-prefeito

 

Dos 43 condicionadores de ar furtados da prefeitura, somente dois foram encontrados no local – Divulgação

Mais de 30 itens com a placa de tombamento do município de Maués foram recolhidos, nesta quinta-feira (12), através de um caminhão, da casa do ex-prefeito da cidade, padre Carlos Goés (PT), por meio de um mandado de busca e apreensão expedido pelo juiz da cidade, Rafael Cró. Após denúncias, que indicavam que equipamentos, móveis e eletrodomésticos poderiam estar na residência de Carlos, a Procuradoria Geral de Maués solicitou a instauração de inquérito com o objetivo de recuperar objetos furtados das dependências de secretarias.

Dos 43 condicionadores de ar furtados da prefeitura, somente dois foram encontrados no local. A lista com 40 itens apreendidos tem, ainda, como impressoras, computadores, televisores, colchões, cadeiras, ventiladores, armários de escritório, geladeira, mesas e malas com documentos oficiais.

Segundo o delegado titular do 48º DIP, que coordenou a ação, Rafael Schmidt, a equipe foi deslocada primeiramente para residência do ex-prefeito, no bairro Santa Tereza, mas no local não foi encontrado nenhum item. Em seguida, a equipe direcionou-se para um sítio, do pai do ex-prefeito, localizado na estrada Maués-Miri, e no local encontrou objetos de propriedade da gestão municipal.

“Mais de 40 aparelhos de ar-condicionado da prefeitura foram furtados, além de materiais de escritório e outros objetos. Demos início às investigações, a fim de recuperarmos toda a mercadoria furtada. “Padre Carlos” não foi encontrado para prestar esclarecimentos sobre o assunto. Conforme pessoas próximas a ele, o ex-prefeito estaria viajando para o exterior. Iremos dar continuidade às diligências em torno do caso. De imediato posso afirmar que ele será indiciado por peculato”, concluiu a autoridade policial”.

A reportagem entrou em contato com o ex-prefeito, mas o padre não atendeu as ligações. O prefeito da cidade Júnior Leite (Pros) informou que a população ficou surpresa com este mandado de busca e apreensão e que a ação gerou uma grande repercussão nas redes sociais. Ele descreveu o que encontrou quando chegou à administração da cidade.

“Quando nós assumimos, nos deparamos com uma realidade difícil e com uma subtração de patrimônio muito grande. Eu não esperava que estes itens estivessem na casa do ex-prefeito, o Padre Carlos Góes”, informou.

Ele destacou que os prejuízos da prefeitura não se limitam apenas a estes desvios. “Além dos 60 aparelhos de condicionador de ar, que saíram para a manutenção e não retornaram para a prefeitura, o motor de popa que faz o transporte escolar das crianças e adolescentes também sumiu e há uma dívida de R$ 25 milhões com previdência e R$ 5 milhões com fornecimento de energia elétrica”, revelou.

Para saber ao certo se existe ainda mais ausência de itens, Júnior Leite (Pros) determinou que os gestores de cada secretaria façam um memorial fotográfico dos ambientes em que trabalham e elaborem um Boletim de Ocorrência, caso notem ausência de algum equipamento.

“Caso seja constatado irregularidade, irei encaminhar ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para tomar as medidas cabíveis”.

Fabiane Morais
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir