Esportes

Irmãs amazonenses colocam o taekwondo do Estado entre os principais do Brasil e esperam chegar às Olimpíadas

 Irmãs, amigas e companheiras de treino, Elissa e Márcia são revelação do taekwondo amazonense- foto: Diego Janatã


Irmãs, amigas e companheiras de treino, Elissa e Márcia são revelação do taekwondo amazonense- foto: Diego Janatã

Mais uma vez o taekwondo do Amazonas foi destaque em uma competição nacional. As irmãs Elissa e Márcia Pimentel, do Team Associação Mape, conquistaram duas medalhas para o Estado na Copa das Confederações, disputado no último final de semana no Recife (PE). Márcia faturou a prata na categoria 49 kg adulto, alcançando a 6ª colocação no ranking nacional de 2015. Já Elissa conquistou bronze na categoria 46 kg Sub-21.

Para Elissa Pimentel, o desafio da competição foi cumprido com êxito. Ela avalia que torneios fora do Amazonas servem como experiência, além da oportunidade de aprimorar suas técnicas. “Serviu como experiência. Foi bom para estudarmos outras atletas. Estou satisfeita com meu desempenho, meu objetivo era estar entre as quatro primeiras colocadas e consegui”, disse.

Márcia seque agora se preparando para os seus próximos desafios. Pela frente ainda tem a Copa Brasil, o Open Norte e a seletiva aberta para a seleção brasileira da modalidade.

“Minha preparação para a Copa das Federações foi excelente, meu foco é sempre estar entre as melhores da categoria. Mais uma vez subi no pódio em um evento nacional. Agora é treinar para Copa do Brasil e o Open em Manaus, que valem mais pontos”, falou.

Willis Pimentel, técnico e irmão de Elissa e Márcia, e que também faz parte da equipe técnica da seleção amazonense, acompanhou a delegação do Amazonas e contou ao PÓDIO que os atletas estão focados para as competições futuras.

“Continuamos os treinos voltados para todas competições nacionais. Desde o início do ano, quando a federação de taekwondo criou a comissão técnica, estamos trabalhando em prol dos resultados. Na realidade, eu faço a periodização das atletas, sou especialista em fisiologia do exercício e procuro dar todo o suporte para que não haja lesões, sempre fazendo prevenções de acordo com as necessidades, mas principalmente nos membros inferiores”, explicou.

As maiores vantagens das meninas em relação aos treinamentos é a solidariedade uma com a outra em busca de melhores resultados. Quem acompanha a rotina de treinos delas se impressiona com tamanha vontade e foco de conquistar títulos juntas. As irmãs estão provando que todo o trabalho em torno delas está dando resultado.

“São 12 treinos por semana, dois a cada dia com direito a uma folga. Treino duas horas pela manhã, dando ênfase à parte física e reabilitação funcional, duas horas à noite nas partes técnicas e táticas, organizando minha estratégia de lutas”, destacou Márcia.

Apesar das irmãs se conhecerem tecnicamente, isso não influencia nos estilos de lutas de ambas, isso porque, cada uma das atletas precisa ter uma estratégia diferente na hora do “rush”. “O estilo da Márcia é mais forte, quanto ao da Elissa, a boa explosão e velocidade nos seus movimentos são fatores fundamentais que ela usa para finalizar a luta”, observou Willis.

“Hoje no Estado do Amazonas o nível das meninas está muito forte, pois como lutam em bastantes campeonatos nacionais, fica cada vez mais difícil das outras atletas amazonenses acompanharem o ritmo. Minhas atletas estão entre as melhores do país, brigando para estar entre as três do ranking nacional que se classificam para a seletiva fechada da seleção brasileira”, completou o treinador.

Faltando apenas duas competições para encerrar o ano, uma delas será em Manaus, e a disputa está acirrada para ocupar as melhores posições no ranking nacional na modalidade.

Futuro

A curto prazo, a dedicação nos eventos passa pela pontuação para o ranking, mas mirando mais longe, os atletas esperam ir bem para participarem para a seletiva fechada da seleção brasileira de taekwondo, que acontecerá no fim do ano e definirá os atletas que irão disputar as competições oficiais.

“No primeiro semestre trabalhamos para pôr os atletas entre os quatro melhores no campeonato brasileiro oficial e agora para o segundo semestre a meta é classificar para a seletiva fechada da seleção brasileira de 2016. O sonho das Olimpíadas de 2016 ainda não acabou, como o Brasil tem quatro vagas garantidas, todos os atletas brasileiros estão na disputa. Principalmente os que se classificarem para a seletiva fechada”, finalizou Willis.

Por Lindivan Vilaça

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir