Esportes

Iranduba enfrenta Timão na Arena da Amazônia

Volante e capitã da equipe, Djeni é uma das armas do Iranduba para o duelo diante do Corinthians, que será disputado nesta noite, na Arena - foto: Diego Janatã

Volante e capitã da equipe, Djeni é uma das armas do Iranduba para o duelo diante do Corinthians, que será disputado nesta noite, na Arena – foto: Diego Janatã

Apostando num bom público e contando com a “colaboração” do calor, o Iranduba entra em campo nesta quarta-feira, às 20h, na Arena da Amazônia Vivaldo Lima, para encarar o Corinthians, em duelo válido pela primeira rodada da segunda fase do Campeonato Brasileiro feminino.

Com várias novidades em relação ao time que terminou a disputa da primeira fase, o Hulk da Amazônia conta com reforços de peso para o duelo diante das paulistas. A zagueira Tayla e a lateral–esquerda Rilany, ambas da seleção brasileira permanente, foram as “draftadas” pelo time amazonense e estarão em campo nesta noite.

Outra mudança aconteceu fora das quatro linhas. Responsável por classificar o Iranduba à segunda fase da competição, Olavo Dantas deixou o cargo de treinador e assumiu a função de diretor técnico do clube. Em seu lugar, Felipe França foi efetivado como comandante do time principal – antes ele dirigia o sub-20.

Cientes das dificuldades que terão frente às paulistas, o Iranduba conta com alguns trunfos. De acordo com França, a Arena da Amazônia Vivaldo Lima deve “assustar” as adversárias. A pressão da torcida e o fator clima, que, segundo o comandante alviverde, é muito mais intenso no estádio do que em lugares em que as adversárias estão acostumadas a treinar e a jogar, pode fazer a diferença.

“É uma coisa assim que a gente já sentiu, à noite o estádio é bem abafado. A questão do clima é o nosso 12º jogador também, juntamente com a torcida. A gente sabe que elas vão chegar aqui e sentir esse calor e, quanto mais a gente pressionar elas, fazer elas correrem sem a bola, elas vão cansar mais rápido. Aí a gente tem que ter a inteligência de usar isso ao nosso favor”, explica França.

A atacante Kellen corrobora com a opinião do comandante. Para ela, o calor será, junto com o apoio da torcida, um forte aliado do Iranduba. “A gente treinar aqui, no campo aonde vai jogar, é um diferencial, porque a equipe delas, creio eu, vai sentir um pouco o clima, e a gente já ter treinado aqui foi importante, até para se acostumar”, aposta.

Nos últimos trabalhos realizados na arena, o treinador do Hulk deu ênfase ao trabalho de marcação das jogadoras. Segundo ele, é importante saber utilizar as dimensões do campo e estar atento aos contra-ataques adversários, que devem ser uma das principais armas utilizadas pelo Corinthians.

“Sei que a equipe delas tem três atacantes muito boas. Duas meias de ligação e uma volante que chega bem ao ataque. Duas zagueiras muito boas, inclusive, uma delas, a Jana, tem como forte a bola aérea. Eu vim a semana toda passando para elas os pontos fortes do Corinthians, no que a gente tem que ficar atento na hora do jogo para não vacilar”, avalia o técnico do Iranduba.

A escalação do time Alviverde não deve ter grandes novidades em relação ao time que terminou atuando a primeira fase. Com o reforço das “draftadas”, o Iranduba deve entrar em campo com Maike; Bruna, Tayla, Sorriso, Rilany; Djeni, Sâmia, Mayara, Mari; Kellen e Nathane.

A troca de garrafas PETs por ingressos para o jogo desta noite encerra hoje, às 12h, no shopping Vianorte. As bilheterias da Arena da Amazônia Vivaldo Lima estará comercializando as entradas até a hora do jogo a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Por André Tobias

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir