Dia a dia

Ipês na Djalma podem ter sido envenenados

 

Segundo a Semmas, a perda das árvores causará um desequilíbrio irreparável na paisagem – fotos: Márcio Melo

Parte dos ipês adultos que compõem a arborização da avenida Djalma Batista, na altura do Vieiralves, foram alvo de suposta tentativa de envenenamento, segundo o levantamento feito por técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas). As árvores sofreram um corte no tronco e tiveram um líquido escuro aplicado na área.

Ontem, os técnicos do órgão registraram um Boletim de Ocorrência (BO) junto à Delegacia Especializada em Meio Ambiente (Dema) para a instauração de inquérito criminal do caso de envenenamento de parte das arvores
da espécie ipê.

O caso foi encaminhado à Dema, que deve prosseguir com a instauração de inquérito criminal

De acordo com as análises, o produto aplicado nos vegetais ainda é de origem desconhecida, e seus efeitos serão monitorados de maneira gradativa. O titular da Semmas, Antônio Nelson de Oliveira Júnior, determinou atenção na apuração administrativa do caso por parte da entidade pública. A ação será paralela ao trabalho investigativo da polícia. “O desafio agora é saber que tipo de produto foi utilizado para matar as árvores e avaliar também o impacto que ele terá sobre o solo, já que o mesmo local será utilizado para o replantio de novas árvores”, afirmou Antônio.

Para conter o processo de degeneração da árvore, que está ocorrendo de forma rápida com o ressecamento das folhas, serão aplicados curativos sobre os ferimentos na tentativa de ajudar as árvores a sobreviver. Em caso de perda, árvores da mesma espécie serão plantadas novamente.

A suspeita é de que a agressão tenha ocorrido durante a madrugada da última quinta (27) para a sexta-feira (28). “Com certeza, trata-se de uma ação com a finalidade de eliminar as árvores naquele trecho da avenida”, explica o engenheiro florestal Lucas Ourique, diretor técnico operacional da Semmas. Segundo ele, o objetivo do corte no tronco é fazer com que o produto nocivo à planta atinja todo o sistema vascular das árvores e as elimine. “O primeiro sinal que chamou a atenção foi o ressecamento das folhas”, observou. Um caminhão-pipa foi até o local no último sábado e lavou os troncos na tentativa de retirar o excesso de produto, presente nos caules das árvores.

“As árvores atingidas são adultas e já se encontravam estabilizadas, inclusive com florescência garantida, mas infelizmente foram vítimas desse absurdo que poderá alterar esse ciclo”, completou Ourique.

Início do programa

O plantio dos ipês no canteiro central da avenida Djalma Batista foi realizado em 2012. No total, 315 mudas foram plantadas em toda a extensão da via. Por meio do programa Arboriza Manaus, lançado em 2016, foram plantadas mais de 700 mudas de pau-pretinho nos passeios públicos da mesma avenida, nas duas faixas da via.

Em caso de alguém em atitude suspeita no trecho do canteiro central da Djalma Batista, o denunciante pode entrar em contato com a Semmas (0800-092-2000 ou 3236-6684).

Bárbara Costa

EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir