Esportes

Inter joga mal, perde para o Santa Cruz e aumenta pressão sobre Argel

Na próxima rodada, o Inter recebe o líder Palmeiras, no Beira-Rio. Já o Santa visita o America-MG - foto: reprodução

Na próxima rodada, o Inter recebe o líder Palmeiras, no Beira-Rio. Já o Santa visita o America-MG – foto: reprodução

Se a direção do Internacional aguardava o jogo contra o Santa Cruz para avaliar o trabalho de Argel Fucks, o treinador tem poucas chances de seguir empregado. Neste domingo (10), o Internacional jogou mal, levou 1 a 0 do Santa Cruz e chegou ao sexto jogo sem conhecer vitória. Com isso, o clima só piorou para manutenção da comissão técnica.

Mesmo que antes do jogo o presidente Vitório Píffero tenha dito que o ex-zagueiro seguiria no comando independente do resultado, o quadro visto em campo torna a situação quase insustentável. Sem criação, o colorado esteve perto de levar ainda mais gols do rival nordestino. Os próximos dias irão ditar o destino da comissão técnica contratada no meio do ano passado e que conquistou o Campeonato Gaúcho e a Recopa Gaúcha neste ano.

Com um ponto conquistado nos últimos seis jogos, somando 20 na classificação, o time vermelho caiu para o oitavo lugar. Enquanto o Santa segue na zona de rebaixamento, mas chegou aos 14 pontos.

Na próxima rodada, o Inter recebe o líder Palmeiras, no Beira-Rio. Já o Santa visita o America-MG.

O jogo

O Internacional fez seu jogo, para o bem e para o mal. Mostrou, como de costume, alguma solidez defensiva. Mas com a bola nos pés deixou muito a desejar. A principal jogada vermelha foi o levantamento para o estreante Ariel. E assim foram feitos repetidos cruzamentos, lançamentos, balões e chutes de toda forma. Um festival de ligações diretas buscando o argentino. Poucas acabaram em algo a ser registrado.

A primeira boa finalização do time vermelho foi aos 38 da etapa inicial. E só poderia surgir de um cruzamento, como foi, com Fabinho. No segundo tempo, Sasha chegou a acertar a trave, mas em nenhum momento o colorado foi soberano no duelo.

Já o Santa Cruz teve muita vontade. Faltou mesmo foi qualidade. Os jogadores do time nordestino correram muito, disputaram cada centímetro de campo como se fosse o último compromisso de suas vidas, mas esbarraram na falta de qualidade.

A procura por um centroavante foi em vão, já que Grafite não estava em campo. Keno foi uma ilha de capacidade individual, mas nem ele foi suficiente para tornar o desempenho da equipe melhor.

E o gol do time local só pôde sair de uma bola parada. Foi exatamente assim no último minuto do primeiro tempo em gol de Keno. Na etapa final, uma bola na trave e muitos contra-ataques deixaram o Santa perto de fazer o segundo, e sempre perigoso.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir