Dia a dia

Instrutores de música trocavam tablets roubados de escola por sexo com adolescentes

 

Os professores de música voluntários Lucian da Silva Santos, 27, e Marcio José  de Souza Barata, foram presos na noite de segunda-feira (19),  acusados de furtar aproximadamente 15 tablets da Escola Estadual Antônio Nunes Gimenez, localizada no bairro Zumbi, Zona Leste e dar os aparelhos para adolescentes e jovens em troca de sexo.  Além da dupla, a jovem Tália Suzana dos Santos da Silva, de 19 anos, grávida de dois meses, e um rapaz identificado como Jonata Coelho da Silva, de 22 anos, foram presos por estarem de posse dos tablets furtados.

Em depoimento, Luciano e Márcio admitiram à Polícia, terem alugado um quitinete no bairro, onde costumavam levar mulheres e adolescentes para manterem relações sexuais com eles. Em troca, eles presenteavam as meninas com os tablets furtados. O material furtado contém a logo da Secretaria Estadual de Educação (Seduc). À imprensa, Luciano negou os crimes. Márcio afirmou ter ficado os aparelhos por influência do comparsa.

À reportagem, Tália disse que mantinha uma relação amorosa com Luciano em troca de dinheiro, uma vez que ela é usuária de drogas. Segundo ela, da última vez que se encontrou com o acusado, ele lhe deu um tablet. Já Jônata contou ter comprado o aparelho de Márcio por R$ 100. “Eu pensei que não ia dar bronca nenhuma (sic). Comprei e dei para o meu filho jogar vídeo game, já que ele não tem entrada para chip”, disse Jônata.

Envolvidos em furto e receptação foram ouvidos na Delegacia  – Foto: Michael Dantas

A delegada Kelene Passos, do 29º Distrito Integrado de Polícia  (DIP), disse à reportagem que, após a prisão de Jair dos Santos Costa, um homem com mandado de prisão por roubo, foram encontrada na casa dele, porções de entorpecentes. A esposa do preso, identificada como Adriana, chegou à delegacia com um tablet nas mãos, com a logo da Seduc, o que despertou a dúvida nos policiais.

Questionada pela Polícia onde teria conseguido o aparelho, Adriana informou que havia recebido de Tália. “Deslocamos uma equipe para a casa da Tália, aqui mesmo, no bairro Mauazinho. No local, encontramos mais dois tablets, que a Tália informou ter ganhado de Luciano. Fomos na casa do acusado, no Zumbi, e encontramos três caixas. Em duas haviam mais mais cinco aparelhos”, relatou.

A delegada disse ainda que os policiais foram até a Escola Estadual onde teriam ocorrido os furtos para dar continuidade as investigações. O diretor da instituição negou ter conhecimento do desaparecimento dos tablets. “O diretor disse que os suspeitos eram voluntários na escola desde 2012, onde davam aulas de música. Após abrir o armário onde os aparelhos ficavam guardados, foi que soube que os tablets haviam sido furtados. Ele ficou de fazer um levantamento para saber quantos aparelhos foram furtados pelo Luciano”, informou a delegada.

Conforme a Polícia Civil, até o momento, duas meninas foram identificadas como alvo da dupla.

Luciano foi indiciado por furto qualificado. Tália, Márcio e Jônata foram autuados em flagrante por receptação. Eles serão levados a audiência de custódia.

Ana Sena
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir