Dia a dia

Instrutores de autoescolas e alunos protestam contra resolução que obriga uso de simuladores

A resolução contempla duas vertentes: a ampliação da carga horária e a utilização de simuladores nas aulas à noite – foto: divulgação

A resolução contempla duas vertentes: a ampliação da carga horária e a utilização de simuladores nas aulas à noite – foto: divulgação

Aproximadamente 300 instrutores e alunos de autoescolas de Manaus protestaram na tarde desta terça-feira (23), por não concordarem com a resolução do Conselho Nacional de Trânsito (CNT), que obriga os Centro de Formação de Condutores (CFCs) a realizarem aulas em simuladores, já que a maioria das empresas não conseguiu adquirir o equipamento. Em todo o Estado, 70 autoescolas correm o risco de ficarem paralisadas se a resolução for cumprida.

Além da obrigação de realizar as aulas pelo simulador, existe outra questão levantada pelos instrutores que é o pagamento de uma taxa de R$4 por aula para a Processamento de Dados do Amazonas (Prodam), com a finalidade de interligar o sistema das autoescolas com o do Departamento Nacional de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), o que para eles é ilegal, uma vez que o serviço deve ser custeado pelo órgão fiscalizador de veículos.

O movimento aguarda uma resposta do governo do  Estado sobre a  liberação  das aulas práticas, que, segundo o grupo, foram bloqueadas no dia 16 de fevereiro, para quem vai obter a primeira via  da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Cerca de 4,5 mil alunos foram prejudicados.

Por equipe EM TEMPO Online

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir