Dia a dia

Inquérito da operação ‘Maus Caminhos’ ainda sem conclusão

Material apreendido na operação continua na perícia técnica - foto: Diego Janatã

Material apreendido na operação continua na perícia técnica – foto: Diego Janatã

O inquérito que apura o esquema fraudulento que desviou pouco mais de R$ 112 milhões dos recursos destinados à Saúde do Amazonas ainda não foi concluído pela Polícia Federal no Amazonas (PF-AM), de acordo com informações do superintendente do órgão, delegado federal Marcelo Rezende.

Na manhã de ontem (3), Marcelo Rezende confirmou que os trabalhos de perícia continuam nos documentos apreendidos durante a Operação Maus Caminhos, deflagrada no dia 20 de setembro, que resultou na prisão de 19 pessoas, ligadas ao Instituto Novos Caminhos (INC), responsável por três empresas que terceirizava mão de obra, para unidades de saúde do Estado. Rezende salientou que ainda não pode estipular uma previsão de quando será concluído esse trabalho técnico.

“O processo de perícia ainda está em curso. As análises ainda estão sendo realizadas pelo departamento técnico da Polícia Federal. Por ora, ainda não temos novidades da Operação Maus Caminhos, principalmente sobre novas prisões. E também não podemos estipular uma previsão de quando serão finalizados os trabalhos”, concluiu.

Pagamentos

Assim como os trabalhos da perícia, a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) ainda está sem definição sobre o pagamento dos salários atrasados dos servidores terceirados ligados à Instituição Novos Caminhos, cujas contas estão bloqueadas por determinação da Justiça Federal.

Na semana passada, o Ministério Público do Trabalho (MPT-AM) solicitou da Susam um levantamento do valor total da dívida trabalhista, quantos seriam os servidos prejudicados com os atrasos e a quais empresas pertenciam. A Susam destacou que o relatório foi entregue ao MPT-AM ainda na semana passada e que agora aguarda uma posição sobre essa situação.

Por meio de nota, a Susam informou que está no aguardo de orinetações do Ministério Público do Trabalho sobre a forma legal para realizar os pagamentos dos funcionários pelos serviços já prestados.

Por Gerson Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir