Meio Ambiente

Inpa lança cartilha para evitar matança de botos na Amazônia

Pesquisadora Vera Lúcia exibe cartilha -foto: Divulgação

A pesca e a comercialização da piracatinga estão proibidas desde janeiro de 2015 como forma de conter a matança indiscriminada de botos na Amazônia. A carne dos mamíferos é usada como isca para a captura do peixe. Apesar da proibição, cerca de dois mil animais ainda são mortos todos os anos na região.Isso demonstra que o boto ainda é utilizado na pesca desse peixe, que pode ser encontrado nos supermercados com o nome de douradinha.

Para ajudar fiscais ambientais a identificarem os filés de piracatinga e frear o comércio ilegal, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), em Manaus, criou uma cartilha. O material é o resultado de uma apostila de um curso realizado em 2016, patrocinado pelo Ministério Público Federal (MPF-AM) para treinar agentes e fiscais ambientais para identificar o filé da piracatinga depois de processados e fileteados nos frigoríficos. “Durante os estudos, foi verificado que seis espécies de bagres eram embalados no mesmo pacote congelado e vendidos com o nome de fantasia de douradinha”, explica a pesquisadora líder do LMA, Vera Silva.

A pesquisadora explicou ainda  que na cartilha estão disponíveis fotos de peixes e informações sobre a piracatinga para que os fiscais consigam distinguir uma espécie da outra.

Foram confeccionados mil exemplares das cartilhas, que ficarão disponíveis gratuitamente em órgãos ambientais e no Inpa.

EM TEMPO, com informações do INPA.

Leia mais:                                                                                                                                              

Cientistas vão usar tecnologia inédita para monitorar botos na Bacia Amazônica 
Terapia com botos ajuda tratamento de crianças 
Campanha contra matança de botos da Amazônia entrega petição

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir