Economia

Inflação acelera para 0,61% em abril, mas fica menor em 12 meses, diz IBGE

A inflação oficial, medida pelo IPCA, ficou em 0,61% em abril, divulgou na manhã desta sexta-feira (6) o IBGE. É o menor resultado para o mês desde 2013, quando foi de 0,55%.

O índice de abril acelerou em relação a março (0,43%), mas no acumulado do ano apresenta trajetória descendente, devido principalmente à recessão econômica, ao desemprego e ao impacto da crise na renda dos trabalhadores.
No acumulado de 12 meses encerrados em abril, o índice esteve em 9,28%, inferior aos 9,39% verificados no período de um ano encerrado em março.
Nos quatro primeiros meses do ano, a inflação ficou em 3,25%. No primeiro quadrimestre de 2015, a taxa de inflação foi de 4,56%.

GRUPOS

Na passagem de março para abril, os grupos de serviços e produtos que mais tiveram aumento de preços -e portanto, que mais pressionaram o índice de inflação- foram os alimentos (alta de 1,09%) e o grupo de saúde e cuidados pessoais (2,33%).

Saúde inclui, por exemplo, consultas médicas e produtos farmacêuticos. Remédios aumentaram de preço em 6,26%, em razão de reajuste de preços que entrou em vigor em 1º de abril.

No lado dos alimentos, a batata-inglesa foi a vilã, ao registrar alta de 13,13% em abril. Juntos, os saúde e alimentos responderam por 89% do índice em abril.

DEFLAÇÃO

Na outra ponta, o grupo habitação foi o único dos nove pesquisados que teve de fato queda de preços. O motivo foi a redução das tarifas de energia elétrica. Na passagem de março para abril, os preços tiveram queda de 3,11%.

As tarifas caíram com a adoção da chamada bandeira tarifária verde, que significa o fim da cota extra na conta de luz.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir