Dia a dia

Índio é preso em flagrante após estuprar criança de dois anos em Boca do Acre

 

 O homem foi preso na aldeia indígena Camicuã, em Boca do Acre - foto: divulgação/ Polícia Civil

O homem foi preso na aldeia indígena Camicuã, em Boca do Acre – foto: divulgação/ Polícia Civil

Nonato Lopes Apurinã, 33, foi preso na quinta-feira (21) após ter por abusado sexualmente de  uma criança de dois anos, na aldeia indígena Camicuã, que fica nas proximidades de Boca do Acre (a 1.028 quilômetros da capital).

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da 61ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), localizada no município de Boca do Acre, distante 1.028 quilômetros em linha reta de Manaus, prendeu em flagrante no início da tarde de quinta-feira, 21, por volta de meio-dia,

De acordo com o titular da 61ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP),  delegado Fábio Freitas, em depoimento, a mãe da criança relatou que o indígena morava com a família dela há cinco anos. “Como a residência tratava-se de uma palafita, a mãe explicou que estava limpando debaixo do assoalho, quando ouviu um barulho e subiu para saber o que era. Dentro do local, a mulher flagrou a criança despida e suja de sêmen. Nonato estava ao lado da menina”, relatou o delegado.

Ainda conforme Fábio Freitas, a mãe chamou o marido dela para segurar Nonato na aldeia e uma vizinha para ajudá-la. “Por sorte, havia também uma agente de saúde na comunidade que prestou auxílio a vítima. A criança foi encaminhada ao hospital do município, onde passou por exames de corpo de delito. Apesar do laudo não ter atestado conjunção carnal, a menina declarou que o homem a beijou na boca e nas partes íntimas”, afirmou.

Após serem acionados pelos agentes de saúde, uma equipe policial se deslocou até a aldeia onde Nonato estava. Ele foi encaminhado à unidade policial e autuado em flagrante por estupro, Artigo 213 do Código Penal Brasileiro. O homem passou pelos procedimentos cabíveis e permanecerá detido na carceragem da delegacia da cidade.

Com informações da assessoria de comunicação

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir