Sem categoria

Indígenas permanecem em frente à Seind, reivindicando troca de secretário

O movimento pretende ficar acampado na frente da secretaria até obter uma resposta da parte do governo - foto: Ione Moreno

O movimento pretende ficar acampado na frente da secretaria até obter uma resposta da parte do governo – foto: Ione Moreno

Aproximadamente 50 indígenas das etnias Sateré, Ticuna e Atroari, continuam acampados na frende da sede da Secretaria de Estado para os Povos Indígenas (Seind), no Centro de Manaus. O grupo pede resposta do governador do Amazonas José Melo, á sua solicitação de troca do atual secretario da pasta, Bonifácio José Baniwa.

Na manhã desta segunda-feira (24), parte do grupo esteve na sede do governo do Estado, na Zona Oeste, na tentativa ser recebido pelo governador José Melo, porém, não conseguiu ser atendido. Na ocasião, os indígenas protocolaram um documento pedido exoneração do secretario.

Conforme um dos lideres do movimento, Robeiro Cambela, em abril deste ano, o governador teria informado que acataria a reivindicação e que nomearia Raimundo Nonato Sobrinho, da etnia Atroari, como novo secretario da Seind, entretanto, até o momento isso não foi feito.

“O governador nos garantiu em abril, que o Raimundo assumiria a pasta. Ele é a pessoa certa para nos representar. Não aceitamos outro que não seja ele,” disse Cambela.

O indígena informou ainda que entre as principais reclamações em relação à atual gestão está a falta de compromisso com as tribos.

“Tem comunidade indígena que não tem escolas. Estamos perdendo nossos jovens para as drogas e a prostituição. Não temos dialogo com o atual secretario. Assim fica difícil,” acrescentou o líder indígena.

O movimento pretende ficar acampado na frente da secretaria até obter uma resposta da parte do governo. Na área estão armadas algumas barracas com redes, onde os indígenas dormem e fazem refeições.

A Seind parou suas atividades deste da ultima segunda-feira (22), após alguns funcionários serem agredidos pelo o grupo de manifestantes.

A reportagem do EM TEMPO Online entrou em contato com secretario Bonifácio José Baniwa, que desmente todas as acusações feitas pelo movimento. Segundo ele, sempre atendeu as solicitações das comunidades indígenas.

“Conheço todos os que estão à frente dessa invasão. Temos alguns projetos para as aldeias deles, não entendo o porquê deles falam que não têm dialogo comigo, já que todos foram beneficiados de alguma forma pela Seind ”, falou o Baniwa.

O secretario informou ainda que o nome apontado pelos indígenas para substituí-lo na secretaria não é indígena. “Ele se diz indígena da etnia Atroari, mas não tem nenhum documento que comprove isso”, afirmou.

A assessoria da Seind informou que no dia 1º de setembro próximo haverá um encontro das lideranças indígenas do Amazonas com o governador do Estado. Na ocasião, será decidida a questão da titularidade da Seind, entre outras reivindicações feitas pelo povo indígena.

Por Mara Magalhães

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir