Dia a dia

Incêndio destrói parcialmente casa de alvenaria no Novo Israel

Colchões, geladeira, ar condicionado, micro-ondas, aparelho de som e fogão foram danificados pelo fogo- foto: divulgação/Bombeiros

Colchões, geladeira, ar condicionado, micro-ondas, aparelho de som e fogão foram danificados pelo fogo- foto: divulgação/Bombeiros

Uma brincadeira de criança pode ter resultado em um incêndio numa casa de alvenaria, de apenas um cômodo, na manhã deste domingo (9), por volta das 10h30. O sinistro foi em uma casa, com 15 metros quadrados de dimensão, localizada na avenida Chico Mendes, bairro Novo Israel, Zona Norte.

Conforme o Corpo de Bombeiros, haviam três crianças de 6, 4 e 2 anos na residência, que teriam ateado fogo na casa, quando brincavam com um isqueiro. O menino Fábio, e o bebê André, tiveram queimaduras de segundo grau no rosto, costas, braços e pernas, sendo que a menina Isabeli Cristina, de apenas 4 anos, além das queimaduras, teve dificuldades respiratórias, devido a inalação da fumaça provocada pelas chamas, o que a deixou em estado grave.

Isabeli Cristina, de apenas 4 anos, além das queimaduras, teve dificuldades respiratórias,  devido a inalação da fumaça provocada pelas chamas - foto: divulgação/Bombeiros

Isabeli Cristina, de apenas 4 anos, além das queimaduras, teve dificuldades respiratórias, devido a inalação da fumaça provocada pelas chamas – foto: divulgação/Bombeiros

O tempo resposta do Corpo de Bombeiros, após o acionamento foi de oito minutos, mas quando chegaram ao local, os populares já haviam conseguido apagar as chamas.

Eletrodomésticos como colchões, geladeira, ar condicionado, micro-ondas, aparelho de som e fogão foram danificados pelo fogo.

Conforme relatos, a mãe das crianças, identificada com Vanessa Cristina do Carmo, 23, havia ido ao mercado e deixou as crianças sozinhas, enquanto o pai, nome e idade não revelados, estava trabalhando.

O soldado da Polícia Militar Francisco de Assis Silva Júnior ajudou na retirada das crianças, que foram encaminhadas a uma unidade de saúde da capital.

Por Conceição Melquíades

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir