Economia

Inaugurada no PIM nova matriz da Positivo; TPV também deve chegar em breve

Em Manaus desde 2008, a Positivo trouxe este ano para o Amazonas toda a sua nova linha de produção – foto: Diego Janatã

Em Manaus desde 2008, a Positivo trouxe este ano para o Amazonas toda a sua nova linha de produção – foto: Diego Janatã

Maior fabricante brasileira do setor de computadores, a Positivo Informática inaugurou ontem a nova matriz no Polo Industrial de Manaus (PIM), onde vai concentrar toda a linha de produção tablets, notebooks e desktops. Após 26 anos no Paraná, a multinacional se transferiu para o Amazonas com a expectativa de ampliar exportações e investir forte em pesquisa e inovação.

Outra gigante do setor, a taiwanesa TPV, fabricante de TVs e monitores AOC e Philips, anunciou a mudança das atividades de Jundiaí (SP) para Manaus.

A migração deve acontecer até julho deste ano e a expectativa é contratar mais 250 trabalhadores para a nova demanda. Um comunicado da empresa informou que a decisão de centralizar as operações foi tomada por motivos estratégicos e para trazer mais eficiência, sinergia e competitividade para a companhia.

O otimismo das indústrias pode parecer um contraste com o clima de cautela na economia brasileira, mas para o governador do Amazonas, José Melo, é um indicador da confiança dos investidores na força do modelo Zona Franca de Manaus (ZFM).

“A Zona Franca tem dado demonstração de força. Está sofrendo com a crise, mas o modelo continua fator de atração para as empresas”, afirmou o governador. De acordo com José Melo, os momentos de crise também representam oportunidades para o empresário que quer investir, e o modelo de incentivos fiscais do Amazonas desponta como o mais vantajoso por dois motivos.

O primeiro é a prorrogação dos incentivos fiscais até 2073, o que garante tempo para maturação de investimentos de médio e longo prazo. Outro fator é o eminente fim da guerra fiscal entre os Estados brasileiros, o que vai assegurar a exclusividade da concessão de ICMS menor ao Amazonas.

Enquanto a Positivo Informática abre as portas de sua nova planta a empresários e outras autoridades, dezenas de investimentos econômicos ganham força nos bastidores, segundo o secretário de Estado de Fazenda, Afonso Lobo. Grupos importantes no País, principalmente, dos setores de informática e eletroeletrônicos portáteis estão avaliando se mudar para o Estado. Uma dessas empresas é a AOC-Brasil, que fabrica monitores, e que fechou sua unidade em Jundiaí e está vindo para o Amazonas.

“Temos várias outras empresas, sobretudo, da área de informática interessadas em vir para Manaus. Uma delas é a AOC. A expectativa é que com a conclusão da reforma do ICMS muita gente venha para Manaus. A Mondial, empresa que produz eletrodomésticos, tablets e computadores, quer agora ampliar a sua fábrica e usar Manaus como plataforma de exportação para toda a América Latina. Temos hoje a movimentação de muitas empresas dos chamados eletroportáteis querendo vir produzir, mas ainda não conseguimos avançar porque falta aprovar o PPB”, destacou Lobo.

Com a geração de 300 empregos diretos em Manaus, a Positivo Informática está confiante no crescimento dos negócios, nas palavras do presidente do grupo no Brasil, Hélio Rotenberg. “É uma importância única. Estamos trazendo uma indústria de 26 anos, situada em Curitiba, para Manaus. Estamos trazendo toda a produção de computadores, de notebooks, de desktop, tudo, 100% dela será feito em Manaus a partir de hoje. O modelo Zona Franca permanece competitivo e o modelo de negócios implantado em Manaus é muito interessante e esse ambiente todo nos fez repensar e vir para cá”, disse.

Rotenberg lembrou que a empresa veio para Manaus em 2008. “Inauguramos essa nova planta e tivemos coragem de, depois de 26 anos, deslocar a nossa produção de computadores inteiramente para Manaus. E isso dá certo pelos profissionais qualificados e pelo ambiente de negócios que encontramos, que serão fundamentais para o sucesso dessa operação e para consolidar ainda mais Manaus como uma das melhores cidades para fazer negócio da América Latina”, explicou.

“Nos últimos cinco anos fizemos investimentos em Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) e grande parte dos novos investimentos serão feitos aqui em Manaus e na região”, complementou. A nova planta conta com área construída de 12,9 mil metros quadrados e área total de 23,5 mil metros quadrados. Além da ampliação, as instalações são novas, com tecnologias modernas e estrutura de segurança em conformidade aos padrões internacionais. A capacidade produtiva nominal da nova fábrica passará de 80 mil para 270 mil computadores e tablets por mês.

Por Fred Santana e assessorias

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir